Após dois dias seguidos de intenso medo e terror, o manauara finalmente pode acordar e ir trabalhar tranquilo. Em Manaus, o último registro de incêndio ocorreu ontem (7), às 8h17 da manhã, no bairro da Compensa. A noite e manhã desta terça-feira (8), foram totalmente tranquilas.

Essa é a primeira vez em dois dias, desde quando começou os ataques na madrugada de domingo (6), que nenhuma ocorrência de terrorismo é registrada.

 

Ataques no interior

Os bandidos agem agora no interior, segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), segundo relatório de ocorrência policial. Em Caapiranga, por volta da 00h15min, meliantes atearam fogo em duas viaturas, sendo uma da Polícia Militar e a outra da PC. Outro veículo foi incendiado. Todos se encontravam no pátio do 32º DIP, que não sofreu danos.

Conforme informações de moradores próximos à delegacia, os autores do incêndio chegaram em grupo pelo rio, jogaram combustível nos veículos e atearam fogo. Moradores que presenciaram o ataque relataram que os autores desse ato criminoso estavam encapuzados.

 

Mais de 30 pessoas presas

A Polícia Civil disse ainda que efetuou a prisão de dois envolvidos no incêndio de dois veículos no pátio do 13º Distrito Integrado de Polícia (DIP). Com isso, sobe para 33 o número de prisões relativas aos envolvidos nos ataques.

 

 

 

Força Nacional a caminho

Militares da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) deverão ser deslocados para o Amazonas, em apoio ao governo do estado, nas ações de combate ao crime organizado em Manaus e municípios do interior. A portaria do Ministério da Justiça e Segurança Pública, autorizando o emprego da FNSP, está publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira (8).

De acordo com a portaria, os militares atuarão em atividades e serviços imprescindíveis à preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, por 30 dias, a contar de hoje, data de publicação do documento. As ações serão em caráter episódico e planejado.

O documento diz ainda que a operação terá o apoio logístico do governo amazonense, que deverá dispor da infraestrutura necessária à Força Nacional de Segurança Pública. “O contingente a ser disponibilizado obedecerá ao planejamento definido pela diretoria da Força Nacional”.