Criado para garantir um mínimo de sustento às famílias sem renda durante a pandemia de covid-19, o Auxílio Emergencial do Governo Federal pode ter sido fraudado por milhares de pessoas em situação financeira privilegiada no Amazonas. A informação é da Controladoria-Geral da União (CGU), que está pesquisando um total de 2.163 CPFs pra lá de suspeitos. São pessoas que tem carrões como BMW, Audi, Mercedes, e até Camaro na garagem, mas solicitaram e receberam os R$ 600 destinados aos pobres. Na lista também há pessoas que são sócias de empresas, com centenas de funcionários, e até doadores de campanha que deram mais de R$ 10 mil aos políticos do coração.

A CGU se baseia na Lei Lei nº 13.982/2020, que define os requisitos para recebimento do Auxílio. Há suspeitas que algumas dessas pessoas possam ser vítimas de fraudadores que usaram seus CPFs para receber a grana. Casos famosos como o dono da Havan, o empresário Luciana Hang, e o jogador Neymar, mostram que há bandidos roubando dados e se fazendo passar pelos titulares para fraudar o sistema. Quem cometeu as fraude será descoberto.

Na lista de amazonenses que pediram auxílio e estão montados na grana estão:

  • 391 CPFs de proprietários de veículos com valor superior a R$ 60 mil. Destes, 41 veículos possuem valor superior a R$ 100 mil. Entre os automóveis estão os da marca Porsche, BMW, Audi, Mercedes Bens e Chevrolet Camaro;
  • 401 CPFs de sócios de empresas, inclusive com mais de 600 funcionários e algumas que são fornecedoras da União;
  • 590 CPFs de proprietários de uma ou mais embarcações, incluindo as do tipo petroleiro, lancha, laser, moto aquática e veleiro;
  • 779 CPFs de pessoas com domicílio fiscal fora do Brasil;
  • 2 CPFs de doadores de R$ 10 mil e R$ 11 mil, respectivamente, nas eleições de 2018;