11 estabelecimentos fechados, seis autuados e um incontável número de festas que passaram batidas, já que é absolutamente impossível fiscalizar todos os baladeiros que têm peito de aço no Amazonas. Aqueles que nã o pegam Covid. Com uma média de quase mil casos novos por dia na semana passada, fica difícil entender qual a dificuldade desse povo de ficar em casa. Ao mesmo tempo, artistas foram para a porta do Palácio da Compensa reclamar da falta de apoio do Governo, que mandou fechar tudo e esqueceu que tem gente sem ter como ganhar um centavo. Ou seja: o Governo não controla a Covid, não ajuda os artistas, não sabe se fecha ou se abre, nem o que fecha e o que abre.

 

BUSÃO LOTADO

Não adianta fechar as festas dos ricos e deixar os pobres apertados dentro dos ônibus. Assim como há aglomerações dos mauricinhos e patricinhas, também tem a turma que não tem escolha e acaba obrigada a pegar um busão para chegar ao trabalho, procurar emprego ou simplesmente se locomover. Se sair de casa e ir para a bala é uma escolha, para muitos, pegar o transporte coletivo e se arriscar é uma obrigação. E não tem autoridade que bote ordem nessa bagaça.

 

EXPOSIÇÃO ATRAPALHADA 

Outra coisa que não deu para entender, foi aquela exposição de carros antigos no Largo São Sebastião. Um monte de gente aglomerada, muitos sem máscara. Parece que o Covid em Manaus é seletivo. Não anda em todos os lugares. Só os que as autoridades querem.

 

PASSOU O RODO 

DRCO pegou seis toneladas de drogas, R$ 3 milhões em espécie, prendeu dez e encontrou até joias em posse de traficantes no Amazonas. Por aí você tem uma ideia do tamanho do poder do tráfico no Estado, e o tamanho do desafio das forças de segurança do Estado.

 

CASTIGO PARA O FLAMENGO 

Depois de defender a volta da torcida nos estádio o Flamengo foi obrigado pela Justiça a jogar contra o Palmeiras, mesmo com mais de 20 casos de Covid no elenco. E os rivais ainda estão pedindo que o clube seja rebaixado por não querer atender aos protocolos combinados e assinados. Todo castigo é pouco.

 

 

NINGUÉM MERECE

Tem candidato querendo raspar a cabeça depois de Bolsonaro afirma que o bom é o “careca de Manaus”.

Até dá para raspar a cabeça, só não dá para virar coronel do Exército.

Esta eleição será a mais curta da história. Pouco mais de 45 dias para o eleitor decidir.