Após a publicação da lista de aprovados no programa Auxílio Manauara e as denúncias a respeito de nomes considerados estranhos, a Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), se manifestou e disse que irá reforçar as ações de transparência nos trâmites do benefício, além de ter iniciado um levantamento para identificar inconsistências relacionadas aos nomes.

 

Culpa do corretor

Durante a análise foi constatado que nomes como “Acidente dos Santos Ferreira”, na verdade é “Audirene dos Santos Ferreira”; “Brócolis Rosane de Souza” é “Neocília Dozane de Souza”; “Malandra dos Santos Sidou” é “Nayandra dos Santos Sidou”; “Surdo Souza Pereira” é “Suedi Souza Pereira”; entre outros nomes que foram inseridos de forma equivocada pelos declarantes.

“Acreditamos que no processo de inscrição pelo celular, o corretor ortográfico tenha feito a alteração do nome e a pessoa não tenha percebido o erro na digitação. As nossas bases de dados iniciaram a avaliação descartando os CPFs inativos, inválidos ou de pessoas mortas. Só neste processo, tivemos quase cem mil inscrições invalidadas. A partir dos cadastros válidos fomos desclassificando quem recebia benefícios previdenciários, seguro-desemprego, tinha renda per capita superior a R$ 178, entre os outros critérios de não elegibilidade”, afirmou a secretária da Semasc, Jane Mara Moraes.