A Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS) promoveu diálogo com mais de 10 cooperativas de produção rural do interior do Estado, responsáveis pelo fornecimento de produtos regionais do Programa de Regionalização da Merenda Escolar (PREME) em 2020.

O encontro, que envolveu também representantes da Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror), da Organização das Cooperativas do Brasil (OCB) e da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), permitiu identificar os gargalos enfrentados pelos produtores rurais neste ano e os anseios para o ano seguinte, com vistas a melhorar as ações da ADS.

De acordo com o secretário da Sepror, Petrúcio Magalhães Júnior, o momento foi de reflexão acerca do que foi feito neste ano e, ainda, do que precisa ser feito para ampliar a participação do produtor rural nos programas de fomento da Sepror.

“É importante ouvir os presidentes das cooperativas do Amazonas, ouvir a OCB e planejar 2021, para que superemos este momento de pandemia e que o agro possa continuar dando respostas, continuando abastecendo o nosso Estado com alimento e valorizando os produtos regionais porque eles geram emprego e renda”, destacou o secretário.

Para o presidente da ADS, Sérgio Litaiff Filho, ouvir as demandas das cooperativas foi fundamental para traçar um planejamento que, de fato, atinja as necessidades reais de quem está na ponta da produção, como os produtores rurais. “É a partir desse olho-no-olho que podemos planejar nossas ações de fomento com mais segurança. Já estive reunido com representantes da Secretaria de Educação e estamos alinhando novos procedimentos para atender a todas as questões aqui levantadas, como a agilidade no pagamento ao produtor”, garantiu.

Representando os produtores rurais, Paulo Abreu, da cooperativa do Rio Preto da Eva (a 57 quilômetros de Manaus), destacou que a reunião foi importante, pois reafirmou que o Sistema Sepror, por meio da ADS, está de portas abertas. “É gratificante saber que temos para onde enviar a nossa produção e ajudar diversas famílias que dependem da agricultura familiar para terem seu sustento. A ADS tem honrado o compromisso e só esperamos que ano que vem seja melhor para todos nós”, concluiu.