A empresa Águas de Manaus criou uma novo jeito de não abastecer a cidade. Faz paradas programadas para melhorar a distribuição, e paradas não programadas porque a distribuição nunca melhora. Imagina ficar sem nada na torneira e no chuveiro nesse calor de Manaus? Nas redes sociais a empresa é a “mais querida” do consumidor, cansado das desculpas esfarrapadas de quem está sempre trabalhando para melhorar aquilo que nunca melhora. É como comer ovo e esperar peidar filé. Nunca vai acontecer.

 

REVOLTA NA HOLANDA

Falamos tanto das Leis brasileiras, e descobrimos da pior forma possível que não é só aqui. Na Holanda, onde a jovem amazonense Alice Albuquerque foi assassinada por uma “amiga” de 16 anos, a mãe afirma que as autoridades não estão dando bola para o crime. Ela faz campanha nas redes sociais pedindo ajuda, pois em dois anos a suspeita pode estar solta.  Érica disse que tirou a filha de Manaus em busca de uma vida melhor. Mas acabou passado por essa tragédia.

ATÉ NUNCA MAIS, TERMINAL 1

Pergunte das milhares e milhares de pessoas que andavam pelo TI a quantidade de dor de cabeça que aquele lugar dava. Quente, sujo, perigoso, ultrapassado. Você pode até contestar os motivos, mas não pode discordar que esses terminais antigos de Manaus são peças de museu.  Obrigado, mas já vai tarde.

COMIDA ESTRAGADA

Procon retirou 120 quilos de comida estragada de um supermercado de Manaus, lá na Cidade Nova. É um absurdo que uma rede tenha coragem de colocar comida podre à venda. Nem a arara aguenta comer porcaria. Vamos respeitar a saúde, o juízo e o bolso do manauara.

 

VIOLÊNCIA

Mais um trabalhador honesto de Manaus foi morto por bandidos. Seu Huck foi baleado e morreu nos braços da irmã, no João Lúcio. Ele era dono de um bar e os bandidos ainda tomaram uma cerveja antes do crime. E, se forem presos, os bandidos ainda terão direito à comida, banho de sol e até cinema na cadeia.

 

NINGUÉM MERECE

Governadores estão cortando verbas da educação por causa da pandemia.

Mas não se tem notícia de cortes nas mordomias dos políticos.

Se a polícia der um rolé nos semáforos da cidade vai encontrar uma criança em cada um.

Se retiraram a bebê de um ano, que retirem o restante das ruas.