Janaína Vieira tem 19 anos e está disputando o Miss Parintins 2021. A jovem parintinense é a primeira pessoa com deficiência a disputar o concurso de beleza do seu município, que é promovido por Frank Freitas.

Mas quem vê Janaína toda produzida e sorridente nas fotografias, não sabe as lutas que ela passou e tudo o que teve que fazer para superar o preconceito. A jovem tem uma linda história de superação e levanta a bandeira da inclusão social na passarela.

Foto: Nande Silva

“Eu nasci com uma deficiência na mão direita e por conta disso, desde criança, sofri com preconceito. Eram piadinhas com a minha condição, olhares tortos, e brincadeiras que me faziam ficar triste. Eu tinha muita vergonha e saia de casa com uma toalhinha para esconder a mão. Escondia debaixo da blusa ou no bolso da calça jeans. Com o tempo eu fui deixando a tristeza de lado e passei a levantar a minha cabeça. Não dando ouvido ao que falavam de mim, mas observando a pessoa que sou de verdade”, disse.

O 1º lugar, a gente nunca esquece

Foto: Lucas Patrick

Após enfrentar tanto preconceito, em 2014, Janaína foi matriculada pela mão no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) Santa Rita, em uma oficina de artesanato. Mas ao chegar ao local, ela optou por se inscrever no curso de dança. Ela conta que foi a dança que mudou a sua vida.

“Eu entrei para dança e passei a me sentir feliz. Quando eu dançava me sentia livre, sentia como se tudo fosse normal, que as pessoas não tinham preconceito comigo. Quando eu dançava era como se as minhas energias fossem recarregadas, eu me sentia viva. A partir de então comecei a me tornar uma pessoa forte e determinada. Apesar da minha situação eu não me limitava a ser aquela pessoa com deficiência, eu gosto de ultrapassar os limites que a mim são impostos e provar no dia a dia que nada é impossível”, destacou.

No CRAS havia muitos eventos e um deles foi um desfile no qual a jovem participou e ganho em primeiro lugar. “A premiação foi uma caixa de chocolate, eu lembro que fiquei muito feliz. Naquele momento algo mudou dentro de mim. Eu já tinha o sonho de desfilar, mas ali foi onde tudo começou”, comentou.

Foto: Lucas Patrick

Em 2017 Janaína foi convidada para participar do projeto “Vem dançar com o Leleu” em que ela e outros participantes viajaram para a praia do Uaicurapá onde aconteceu o Conexão Verão.

“Lá um dos organizadores do evento perguntou se eu tinha interesse em participar do desfile que ia acontecer. Eu disse que sim e fiz minha inscrição de última hora. Quando eu contei para as pessoas que estavam comigo tiveram uma reação muito negativa, não acreditavam que eu poderia chegar à final. Eles diziam que as outras meninas eram mais bonitas. Eu encarei isso como um desafio. Participei e fiquei em 3° lugar”, relatou.

Naquele mesmo ano, Janaína participou do desfile para a escolha da ‘Garota Brandão de Amorim’, escola em que eu estudava na época, mas não ganhou.

Corpo de Dança do Caprichoso

Foto: Arleison Cruz

A jovem também participa da Raça Azul (torcida organizada) do Boi Caprichoso. Em 2018 Janaína foi convidada pelo pajé Erick Beltrão para fazer parte do Corpo de Dança Caprichoso (CDC), grupo do qual ele coordena, e até hoje ela continua frequentando os ensaios e fazendo o que mais ama que é dançar.

No início desse ano Janaína foi além e agora luta pelo mais novo sonho, o de participar do Miss Parintins 2021, sendo a primeira participante com deficiência a concorrer ao título do concurso.  Um dos desafios desse sonho é conquistar patrocinadores, muitos ainda não acreditam em seu potencial.

“Foi bem difícil encontrar patrocinadores que acreditassem em mim. Quando eu comecei a ir atrás recebi vários não. Ninguém queria me patrocinar. Penso que por não acreditarem em mim ou por não me aceitarem como uma pessoa com deficiência. Eu sou muito grata aos meus patrocinadores, eles fizeram muita diferença nesse primeiro desfile e me incentivaram bastante a seguir em frente. Teve pessoas que me deixaram na mão também e teve pessoas que eu não esperava que iam me apoiar que estenderam a mão para mim e me ajudaram”, disse.

Foto: Arleison Cruz

Janaína pretende ir em frente e seu objetivo é levantar a bandeira da inclusão social nesse meio de passarela, que ainda é praticamente inacessível para muitas meninas que tem alguma deficiência como ela.

“Estamos em 2021, precisamos falar sobre inclusão, precisamos evoluir, pois só assim teremos um mundo mais justo e inclusivo. Eu quero mostrar para as pessoas que ter uma deficiência não nos limita, muito pelo contrario, podemos realizar os nossos sonhos. Eu fico muito feliz quando recebo mensagens de pessoas dizem se inspirar na minha história”, comentou.

As pessoas que quiserem patrocinar Janaína Vieira em seu sonho podem entrar em contato com ela pelo telefone 92 99517-9101 ou pelo seu instagram @janaina_vieyra.