Home Política Amom não descarta que atentado tenha motivações políticas

Amom não descarta que atentado tenha motivações políticas

5 min ler
0
0
193

O vereador e candidato a Deputado Federal Amom Mandel (Cidadania), afirmou que não estava no carro junto a sua equipe de Bases Políticas durante o atentado ocorrido na terça-feira (3), no bairro Cidade de Deus, zona Norte de Manaus. Conforme Mandel, dois homens em uma motocicleta surpreenderam sua equipe e efetuaram três disparos de arma de fogo, sendo que apenas um atingiu a lataria do veículo.

“Nossa equipe estava fazendo um alinhamento no bairro Cidade de Deus, na última terça feira e foram ameaçadas. Eles estavam apurando denúncias sobre o uso indevido do transporte público por pessoas do bairro, bem como a infraestrutura das paradas de ônibus e fazendo o alimento corriqueiro para a pré-campanha para Deputado Federal. Nós registramos o boletim de ocorrência no mesmo dia e tratamos o caso junto ao nosso departamento jurídico”, disse.

Amom alegou que preferiu não divulgar o atentado à imprensa porque não queria transformar usar a situação para fins políticos. Porém, ele diz acreditar que o atentado sofrido por sua equipe pode ter ligação com a política, mas prefere aguardar as investigações da polícia.

“Não comunicamos aos veículos de comunicação justamente porque decidimos não fazer uso desse tipo de situação para fins políticos e para não comprometer as investigações da polícia. Eu creio que o atentado seja político, embora não haja no Código Penal o que chamamos de crime político, seria um crime de ameaça. Pode sim ser relacionado a isso, portanto apenas a Secretaria de Segurança Pública pode afirmar no decorrer das investigações. Nós temos mais de um boletim de ocorrência registrado, um desse atentado com tiros e um de ameaças direcionadas a mim”, destacou.

O vereador disse ainda estar preocupado com a segurança de sua equipe e das pessoas que o apoiam. Ele pede que a Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), bem como o governador Wilson Lima, tome providências cabíveis.

“Meu carro não é blindado, porque eu não tenho dinheiro para botar carro blindado, e minha equipe não anda armada. Nós dependemos do apoio da SSP como qualquer cidadão em Manaus. Eu espero que as devidas providências sejam tomadas pelo governador, que me ligou em solidariedade hoje pela manhã. Espero que os fatos sejam apurados para garantir a minha segurança, da minha equipe e da população que nos apoia. O corpo jurídico que está nos acompanhando já está com as informações e vai informar para a Justiça Eleitoral. Vamos acompanhar de forma firme a apuração junto aos órgãos públicos”, finalizou.

Foto: Divulgação

Carregue mais por Michelle Freitas
Carregue mais em Política

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Verifique também

Tentando extorquir R$ 30 mil com vídeo de sexo, “novinho” vai em “cana”

Arlesson Lucas Arflalo Pinheiro, 18, foi preso em flagrante por Policiais da Delegacia Esp…