Após oito meses de espera, a família do empacotador Renneson Ramos Prestes – executado no dia 28 de dezembro de 2019 – finalmente conseguiu a justiça que tanto clamou. A vítima tinha 27 anos.

Wadison Henrique das Neves enfim foi preso nesta quarta-feira (12), em cumprimento a mandado de prisão preventiva, pelo homicídio de Renneson, ocorrido na rua Cachoeira da Prata, em bar do bairro Tancredo Neves, zona leste de Manaus, onde a vítima havia alugado o estabelecimento para começar um novo empreendimento.

Segundo Charles Araújo, na ocasião do delito, a vítima foi surpreendida por Wadison e outro comparsa, que já está sendo investigado pela polícia. Ambos estavam em um veículo modelo Gol, momento em que efetuaram vários disparos de arma de fogo em Renneson, que não resistiu e veio a óbito no local.

Para os familiares o crime pode ter sido cometido por crimes cometido na vida pregressa de Renneson. “Ele errou no passado, há cerca de oito anos ele teve envolvimento com o tráfico de drogas, inclusive, chegou a ser preso. Depois tentou seguir a vida honesta, estava trabalhando como empacotador em uma panificadora, mas tudo indica que o passado dele não havia sido apagado no mundo do crime”, relatou uma testemunha que preferiu não se identificar.

 

Câmeras de segurança registram o momento do crime e fuga da dupla. O homem que ajudou “Gordinho” era dono do carro e foi preso logo após o crime.

 

Confira o vídeo: