O prefeito  Arthur Virgílio Neto não mediu esforços e já vai liberar neste sábado a Mário Ypiranga Monteiro, no bairro Parque 10, após a realização da obra emergencial. As obras realizadas após o afundamento de uma das pistas, em frente ao Clube Fazendário, provocado por intensas chuvas no último dia 24/11, já estão em fase de conclusão para desobstruir as pistas de rolamento interditadas desde a última sexta-feira, 27/11. O prefeito, que vem acompanhando o progresso da obra, diariamente, voltou ao local nesta quinta-feira, 3, e, estimou em dois dias, pelo estágio atual dos trabalhos, a normalização do trânsito na área. “Estamos aqui preparando a base para o asfalto e, logo depois, liberar para o trânsito, que vai fluir, enquanto a gente continua com os trabalhos nas margens, até concluir tudo”, explicou o prefeito. “O problema está sanado e de maneira justa, oferecendo à cidade segurança no seu sistema viário”, afirmou o prefeito.

Com o início das obras emergenciais, equipes da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) identificaram que na outra pista também havia danos à rede de drenagem. Todo o material comprometido foi retirado e substituído por uma nova rede, com tubos de alumínio. O enorme buraco que havia na pista, com riscos por acumular água e fiações elétricas, já não existe e a operadora de serviço está cooperando para refazer o sistema. As máquinas espalham pedra utilizada como reforço de subleito, preparando o solo para o asfalto.

“Houve a ruptura em uma das pistas e logo vimos que o outro lado iria romper também porque estava tudo velho. Então, não hesitamos e fizemos o que tinha que ser feito, mesmo provocando transtorno no trânsito, porque temos que oferecer uma obra duradoura. Seria muito fácil enganar, empurrar o problema com a barriga, mas não foi isso que aprendi com meus pais. Isso não faz parte da minha história”, ressaltou o prefeito Arthur Neto.

Pé na rua até o último dia

MOBILIDADE DE VOLTA 

Com a liberação da avenida Mário Ypiranga para o tráfego de veículos, a Prefeitura de Manaus e o Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU) já planejam o retorno das linhas que circulam no local que, em função da obra, foram desviadas para outros itinerários. “Estamos aqui preparando a base para o asfalto e, logo depois, liberar para o trânsito, que vai fluir, enquanto a gente continua com os trabalhos nas margens, até concluir tudo”, explicou o prefeito. “O problema está sanado e de maneira justa, oferecendo à cidade segurança no seu sistema viário”, afirmou o prefeito. Com o início das obras emergenciais, equipes da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) identificaram que na outra pista também havia danos à rede de drenagem. Todo o material comprometido foi retirado e substituído por uma nova rede, com tubos de alumínio. O enorme buraco que havia na pista, com riscos por acumular água e fiações elétricas, já não existe e a operadora de serviço está cooperando para refazer o sistema. As máquinas espalham pedra utilizada como reforço de subleito, preparando o solo para o asfalto.

“Houve a ruptura em uma das pistas e logo vimos que o outro lado iria romper também porque estava tudo velho. Então, não hesitamos e fizemos o que tinha que ser feito, mesmo provocando transtorno no trânsito, porque temos que oferecer uma obra duradoura. Seria muito fácil enganar, empurrar o problema com a barriga, mas não foi isso que aprendi com meus pais. Isso não faz parte da minha história”, ressaltou o prefeito Arthur Neto.

 

DÍVIDA ZERO 

“Não deixei dívidas na primeira vez que fui prefeito e não vou deixar nessa última”, assegurou o prefeito Arthur Virgílio Neto, ao comentar sobre a transição de governo iniciada nesta quinta-feira, 3/12. A fala reflete, segundo Arthur, o cenário que a equipe do novo gestor eleito encontrará na Prefeitura de Manaus, com as contas públicas em dia e investimentos garantidos para áreas essenciais. “Tenho como prática de governo manejar bem a questão econômica. Obtive empréstimos nacionais e internacionais, tudo calculado dentro da Lei de Responsabilidade Fiscal. Todos os empréstimos com juros baixos e alguns com carência grande, em que o prefeito eleito nem vai precisar pagar durante o mandato dele. Manaus se tornou a ‘menina dos olhos’ da Secretaria do Tesouro Nacional, porque tem responsabilidade financeira”, declarou Arthur Neto.

Dinheiro em caixa

Prestes a concluir seu terceiro mandato à frente do Executivo municipal, o prefeito de Manaus garantiu, também, que deixará a prefeitura com dinheiro em caixa, para que o novo prefeito possa dar continuidade às obras que, porventura, não puderem ser concluídas até o fim da gestão. “Pretendemos entregar todas as obras até o fim da gestão, mas se alguma ficar pendente vou deixar dinheiro para que o novo prefeito as conclua. A Lei de Responsabilidade Fiscal é muito clara em relação a isso e eu sigo à risca”, disse Arthur, ao destacar que pretende sugerir a David Almeida que assine um termo se comprometendo a concluir as obras. “O que ficar pendente vai ficar com o dinheiro junto, com documento que gostaria de ver assinado por mim e prefeito eleito se comprometendo a dar a destinação ao dinheiro que está recomendada”, declarou.

A responsabilidade com os gastos e o planejamento do futuro são apontados por Arthur como alguns dos grandes legados que ele deixa ao sucessor. “Fizemos um ajuste fiscal verdadeiro, a cidade cabe no seu orçamento, não temos mais gastos irresponsáveis. Outro ponto é o ajuste previdenciário. A Manaus Previdência é a mais premiada do país, conquistamos oito títulos nacionais, o último, que está sendo entregue na noite desta quinta-feira, 3/12, é de melhor qualidade de investimento”, observou.

Planejamento deu resultados que ficarão como legado para Manaus

Na avaliação de Arthur, se o prefeito eleito mantiver o controle financeiro do município, terá sucesso como gestor. “Agradeço aos que me consideram um bom prefeito para Manaus, mas eu quero que os outros sejam ainda melhores, porque eu penso no bem da população. Nós pavimentamos o caminho para que o meu sucessor possa fazer uma grande administração. Estou procurando montar a infraestrutura, para que possa avançar em mobilidade urbana. O novo prefeito vai pegar uma cidade com crédito, com responsabilidade fiscal, e poderá fazer o máximo possível de obras”, afirmou.