A Prefeitura de Manaus recebeu, nesta sexta-feira, (26), 40 profissionais cubanos do Programa Mais Médicos, do governo federal, que irão atuar, a partir da próxima segunda-feira, 1º/3, na Atenção Básica em Saúde e nas unidades preferenciais para atendimento a casos suspeitos de Covid-19.  Eles fazem parte de um total de 82 médicos cubanos selecionados pelo Ministério da Saúde por meio de edital específico.

“A chegada desses profissionais será um reforço importante para os serviços de Atenção Básica que a Secretaria Municipal de Saúde de Manaus oferece. Por estarmos em situação de pandemia, a busca por atendimentos na rede pública teve um aumento significativo e a vinda desses médicos vai compor nossas equipes nas duas frentes, a de rotina e a de Covid-19”, destacou o prefeito David Almeida.

A secretária municipal de Saúde interina, Aline Martins, informou que o primeiro edital aberto pelo Ministério da Saúde para a contratação de 108 médicos brasileiros, só teve a adesão de 24 profissionais, sendo a maior parte já residente em Manaus. Em razão disso, foi aberto um novo edital, para os cubanos.

“Das 82 vagas abertas para a seleção de médicos cubanos, já temos 72 confirmados. Esses profissionais de saúde já residiam no Brasil e haviam atuado na versão anterior do programa, mas não estavam exercendo a profissão. Muitos estavam desempregados, sobrevivendo até como vendedores ambulantes. Agora eles darão suas contribuições com a saúde de nossa população”, disse a secretária.

Os custos de passagem aérea e salários desses profissionais são pagos pelo governo federal. A contrapartida da Semsa é o pagamento de auxílios moradia e alimentação.

Os profissionais cubanos começaram a se apresentar na última segunda-feira, 22. Além dos 40 que já se apresentaram na Semsa, outros 32 já têm bilhetes aéreos emitidos. A expectativa é de que até o dia 5 de março, outros médicos cheguem a Manaus, completando as vagas oferecidas.

Quando o grupo estiver completo, o Departamento de Atenção Primária (DAP) da Semsa realizará uma aula para apresentar a dinâmica da secretaria, com fluxos de trabalho e de atendimento. Durante a permanência na cidade, ou seja, dois anos, de acordo com o contrato, eles serão treinados nas ações e programas de saúde que já são desenvolvidos.

“É importante salientar que como eles já fizeram parte desse programa em outros Estados, esses profissionais já têm uma bagagem de conhecimentos. São profissionais para atendimento em atenção básica, ou seja, prevenção e promoção da saúde, dentro das peculiaridades da cidade, mas que também terão atuação nos atendimentos gerais a casos de Covid-19”, explicou a diretora do DAP, enfermeira Sonja Ale Farias.