Programa emergencial criado pelo Governo do Amazonas para garantir a segurança alimentar para famílias em situação de extrema pobreza, o Auxílio Estadual, que tem o objetivo de minimizar os efeitos sociais da emergência sanitária, já começa a fazer a diferença na vida das pessoas, a exemplo de Ronaldo da Silva, 29, morador da Rua Corumbá, no bairro da Redenção, zona centro-oeste de Manaus, desempregado e com dificuldade para alimentar sua família.

Ronaldo da Silva é pai de três filhos e, antes da pandemia, trabalhava como pintor ou fazendo outros “bicos” para garantir a sobrevivência das crianças – de um, três e sete anos de idade. A crise da pandemia deixou Ronaldo desempregado.

Na tarde desta quarta-feira (03), ele recebeu a visita dos técnicos da Secretaria de Estado da Assistência Social (Seas) e do Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS), responsáveis pela entrega em domicílio dos cartões do benefício de R$ 600, divididos em três parcelas de R$ 200. O auxílio é exclusivo para compra de alimentos e material de higiene e limpeza. Pode ser usado em supermercados e mercadinhos da rede credenciada.

Delivery

Por determinação do governador Wilson Lima, o Auxílio Estadual está sendo entregue de casa em casa. É uma medida para garantir que as pessoas não saiam de seus lares sem necessidade. A prevenção ao contágio do novo coronavírus mobiliza todos os órgãos governamentais no Amazonas.

Alcance

O Auxílio Estadual atende 100 mil famílias em situação de extrema pobreza, nos 62 municípios do Amazonas. O governador Wilson Lima destacou que o programa também significa uma injeção de R$ 60 milhões na economia, no período de três meses.