O que mais se ouviu falar nessa pandemia foi sobre pessoas transformaram o benefício do auxílio emergencial em uma bom negócio. Mas assim como há mentes para o bem, também há para o mal.

Prova disse foi que um jovem de 19 anos do Coroado, zona Leste de Manaus, usou o dinheiro para famílias de baixa renda para comprar mercadoria de drogas e revender para o consumidor final.

Além dele foi apreendido um adolescente que ajudava nós negócios.