Quatro homens foram presos pelo crime de tráfico de drogas, ao longo desta sexta-feira (18/12), por policiais da Base Fluvial Arpão, durante fiscalizações a barcos no Rio Solimões. Aproximadamente 40 quilos de maconha foram pegos, sendo trazidos de barco dos municípios de Tefé e Tabatinga para Manaus.

 

A apreensão do material ilícito representa um prejuízo estimado em R$ 250 mil ao crime organizado. A Base Arpão é coordenada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), com presença das Polícias Militar e Civil, além de forças federais e órgãos ambientais.

 

As prisões ocorreram em Coari (a 363 quilômetros de Manaus), onde a base realiza operações desde agosto. O primeiro flagrante aconteceu por volta das 3h da madrugada, no barco N/M Manoel Monteiro, originado de Tabatinga, na região da tríplice fronteira, distante 1.106 quilômetros da capital do estado.

 

Na abordagem, dois homens, que não tiveram nome e idade reveladas, foram presos com cerca de 14 quilos de maconha do tipo skunk. O entorpecente foi encontrado com auxílio da cadela Zoé, da Companhia Independente de Policiamento com Cães (CIPCães), da Polícia Militar. O animal farejou a droga na bagagem de um dos indivíduos, que depois conduziu os policiais ao camarote de outro suspeito, onde o restante do ilícito estava escondido no forro.

Na segunda ocorrência, registrada por volta das 6h, outros dois homens foram pegos traficando drogas na embarcação B/MA, que vinha de Tefé (a 523 quilômetros de Manaus). Também com ajuda do cão, os policiais conseguiram flagrar cerca de 26 quilos de maconha escondidos em bagagens.

 

Os dois casos foram apresentados na Delegacia de Polícia Civil de Coari.

Coordenada pela SSP-AM, a Base Arpão atua de forma integrada com efetivos das Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM), Polícia Federal, Força Nacional, Secretaria de Operações Integradas (Seopi), do Ministério da Justiça e Segurança Pública, e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).  A ação ocorre em conjunto com a Operação “Hórus”, um dos eixos do Programa Nacional de Segurança de Fronteiras e Divisas (Vigia), do Ministério da Justiça.

Denúncias podem ser feitas ao 181, o disque-denúncia da SSP. O serviço é gratuito e disponível para todo o estado.