O vereador Carpê (Republicanos) anunciou nesta quarta-feira (7), que vai processar a liderança do Movimento Brasil Livre – Manaus (MBL) por criar postagens nas redes sociais dando a entender que o capitão cria “cabide de emprego”. As informações são do Em Tempo.

Tudo começou com uma postagem, onde o MBL diz que o vereador nomeou Ricardo Leôncio Bezerra da Silva, para o gabinete de Carpê com um salário de R$ 3 mil por mês, só para ficar prestando serviços como personal trainer.

Dentre as postagens do movimento, há uma foto de Ricardo ao lado de Carpê com a seguinte legenda: “Cabide de emprego e boa forma: Para manter a boa forma e continuar rodando Manaus toda, Carpê resolveu colocar seu Personal Trainer na folha de pagamento com 200% de gratificação!”.

“Vou processar o MBL. Se estão falando isso, vão ter que provar”, disse Carpê ao responder as acusações que segundo ele, não é ilegal, já que além da formação acadêmica em educação física, o personal também é formado em marketing e o auxilia na comunicação das redes sociais.

“Ricardo e eu temos um projeto social antigo. Ele também é faixa preta de jiu-jitsu e me ajuda na comunicação. O Ricardo também me assessora no gabinete externo e é uma pessoa de confiança, mas tem a profissão dele que é ser personal”, justificou o vereador.

Ao ser questionado sobre as acusações feitas ao vereador, Jhony Souza, que é uma das lideranças do MBL, afirmou que é visível uma troca de favores entre Ricardo e Carpê. Segundo o representante do movimento, é comum nas casas legislativas que apoiadores do período de campanha sejam “recompensados” com uma nomeação.

“Apesar de ser legal, é totalmente imoral. É uma prática recorrente nos gabinetes do poder legislativo, onde sabemos que há líderes comunitários e religiosos que são nomeados e sequer aparecem para trabalhar”, concluiu.