O motorista do Governador do Amazonas furou a fila da vacina após ser incluído na lista como ‘trabalhador da saúde’ pela própria esposa dele, que é a diretora do ‘Joãozinho’.  O casal de furões foi exonerado, é claro! Mas só porque o TCE-AM acendeu o tocha e só vai sossegar quando jogar todos na fogueira, tanto Prefeitura quanto Governo.

Conforme lista de transparência, não tão transparente assim, o funcionário da Casa Civil, Gerberson Oliveira Lima, recebeu a primeira dose da vacina Coronavac de forma indevida, no dia 20 de janeiro, dois dias depois da chegada da vacina.

O que chama atenção, é que Gerberson foi incluído no grupo prioritário de ‘Trabalhadores de Saúde’, mas como confirmado pela própria assessoria do Governo do Amazonas, Gerberson é motora, adivinhem de quem? Do Governador do Estado do Amazonas, Wilson Lima.

 

Governador se manifestou

Mexe daqui, revira dali e bingo, descobrisse que a diretora do Hospital e Pronto-Socorro da Criança da Zona Leste (que não é um hospital de tratamento para Covid-19 no Estado), Michele Adriane Pimentel Afonso, mexeu seus pauzinhos e colocou o marido dela, Gerberson, na lista prioritária de vacinados. Ambos foram vacinados.

 

 

Vacina para grupos de Ricos

Veja bem caro leitor, vamos pelas ordens cronológicas dos fatos para quem está perdido. Dia 18 a vacina chegou a Manaus, no primeiro dia de vacinação (19/01) as gêmeas recém-formadas em medicina Gabrielle Kirk Lins e Isabelle Kirk Lins – Gabrielle foi contratada pela Secretaria Municipal de Saúde 4 dias antes da imunização, a sua irmã 3 – tomaram a CoronaVac, antes de médicos e enfermeiros de hospitais que enfrentam a pandemia desde o seu início.  E esfregaram na cara da sociedade postando fotos no Instagram.

Um dia depois, Gerberson também foi vacinado.

 

TCE dá um basta

Mas por que só agora, com a lista exigida pela Justiça os furões estão sendo punidos? Ora, não sejamos ingênuos, agora que a merda bateu no ventilador, respingou para todos os lados!!!

Após uma enxurrada de denúncias, o bafafá chegou até os ouvidos presidente do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM), conselheiro Mario de Mello, que bateu o martelo e mandou a Prefeitura enviasse a lista de todos os vacinados para ser analisadas, todos os dias.

Pasmem, no primeiro dia de transparência da lista de vacinados, foram encontrados nada mais nada menos do que 1.513 CPFs inexistentes e 12 nomes repetidos na lista de vacinados contra a Covid-19.

 

 

Juíza mata a cobra e mostra o pau

“Quem furou fila em Manaus não terá direito a 2ª dose”, decidiu a juíza Federal Jaiza Fraxe, no sábado (23), em decisão civil pública, que cabe para as pessoas que tomaram o lugar dos prioritários na imunização. A magistrada também decidiu que o próximo carregamento de imunizantes que chegar ao Amazonas, só poderá ser distribuído após fiscalização da Justiça Federal.

A decidiu veio após os Minstérios Públicos (Federal, Trabalho), Tribunal de Contas do Estado e Defensorias Públicas do Estado e da União, em ação civil pública, pediram à Justiça para que a Prefeitura de Manaus seja obrigada a divulgar, todas as noites, os nomes de quem foi vacinado e em que locais.