Um dos compositores mais queridos da cultura amazonense partiu nesta sexta-feira, precocemente, aos 68 anos. Mestre Pinheiro, aos 68, morreu no João Lúcio, após sofrer um AVC. Autor de marchinhas, sambas e colecionador de discos, o corpo está sendo velado na Reino Unido da Liberdade, e a memória do Mestre é reverenciada neste sábado nas redes sociais.

A Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa lamentou o falecimento em nota. “Mestre Pinheiro, como era conhecido no segmento musical, se dedicou a estudos sobre a Música Popular Brasileira, em especial ao Samba. Uniu duas paixões, a música e a fotografia, para montar o maior acervo fotográfico sobre a história do Samba de Manaus, com registros de rodas de samba, casas de show, desfiles das Escolas de Samba, entre outras manifestações”.

Ele deixa esposa, quatro filhos, uma enteada e quatro netas.