David Almeida (Avante) ou Amazonino Mendes (Podemos)? Um deles será eleito prefeito de Manaus neste domingo, vencendo uma disputa que começou com 11 candidatos. Após oito anos sob o comando de Arthur neto (PSDB), Manaus trocará de comando, de estilo de liderança e voltará a se deparar com os eternos desafios de sempre, que vão desde o transporte público, passando pela saúde, educação e, neste momento, por uma pandemia. Com quem será?

Durante a campanha ficou clara a divisão entre o tradicional e o novo. Amazonino apelou para sua experiência, suas inúmeras passagens pelo poder e disse ao eleitor que, com ele no comando, Manaus sempre foi bem tratada. “Manais, mais do que nunca, vai precisar de uma pessoa que saiba fazer. E eu sei; Já provei como se faz. Tenho muitas propostas para Manaus e também quero resgatar o que foi feito de bom por no passado, como as carretas da saúde e o leito do meu filho.”

Já David Almeida entrou na onda defendendo a aposentadoria do Negão e dizendo que é hora de renovar a água. Ex-governador por quatro meses, usou seu desempenho no curto período à frente do Estado como prova de que é a melhor escolha. Entre muitas caminhadas, alguns apoios de adversários no primeiro turno e um “fight” com o adversário após debate na TV, chega encorpado na reta final, apontado como favorito nas pesquisas e assessorado por Marcos Rotta. “Vamos fazer de Manaus uma cidade melhor para se viver. Melhorando o transporte, a escola, ampliando o atendimento à saúde, eu melhor a vida de todo mundo. E vamos trabalhar para que isso aconteça desde o primeiro dia”.

 

Segurança sanitária

Em decorrência da pandemia de covid-19, o horário de votação foi estendido e será realizado das 7h às 17h (horário local). O horário das 7h às 10h é preferencial para maiores de 60 anos. Os demais eleitores não serão proibidos de votar nesse horário, mas devem, se possível, comparecer a partir das 10h, respeitando a preferência.

Também em virtude da pandemia, o uso de máscaras é obrigatório. Sem ela, o eleitor não poderá votar. Caso seja necessário, o mesário pode pedir que o eleitor se afaste e abaixe a máscara para conferir a foto na identidade.

Entre os protocolos de segurança está a exigência do distanciamento mínimo de um metro. Não será permitido comer ou beber na fila de espera. A medida é para evitar que as pessoas tirem a máscara.

O TSE recomenda que os eleitores levem sua própria caneta para assinar presença no caderno de votação.

Proibições

No dia da votação, a legislação eleitoral proíbe a divulgação de qualquer espécie de propaganda de partidos políticos ou de seus candidatos. Também são vedados, até o término do horário de votação, com ou sem utilização de veículos: aglomeração de pessoas com vestuário padronizado ou instrumentos de propaganda; caracterização de manifestação coletiva e/ou ruidosa; abordagem, aliciamento, utilização de métodos de persuasão ou convencimento; e distribuição de camisetas.

A legislação proíbe ainda o uso de alto-falantes, amplificadores de som, a realização de comícios, carreatas e qualquer veículo com jingles; a arregimentação de eleitor ou a propaganda de boca de urna; o derrame de santinhos e outros impressos no local de votação ou nas vias próximas, ainda que realizado na véspera da eleição; e a publicação de novos conteúdos ou a intensificação de conteúdo na internet, podendo ser mantidos em funcionamento as aplicações e os conteúdos publicados anteriormente.