A Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) enviou recomendação ao Governo do Amazonas e à Prefeitura de Manaus pedindo reforço na fiscalização do Complexo Turístico da Ponta Negra.

Caso seja impossível atender à recomendação, a Defensoria pede a interdição da praia e calçadão da Ponta Negra e balneários públicos pelo prazo de 30 dias.

A recomendação foi feita após serem identificadas aglomerações no local. Ela foi encaminhada nesta sexta-feira (14) e o prazo é de três dias para que Estado e Município informem as medidas implementadas ou as razões para o não acolhimento.