Quatro reeducandos da Unidade Prisional do Puraquequara (UPP), localizada na Estrada do Puraquequara, Km 02, Ramal Bela Vista, trabalham na confecção de tijolos para o estabelecimento prisional. Os serviços estão sendo realizados desde o início de novembro e são coordenados pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) e pela empresa de cogestão RH Multi.  Para participar da produção, os reeducandos que fazem parte do programa de ressocialização “Trabalhando a Liberdade” tiveram que passar por uma capacitação por meio do curso de Pedreiro, promovido na unidade. Cerca de 750 tijolos já foram produzidos e estão sendo utilizados na reforma das galerias e na construção do novo almoxarifado da UPP.

A produção dos tijolos é constante e supervisionada pela engenharia civil da cogestora. “O trabalho dos internos na fábrica de tijolos representa grande economia para os cofres públicos e celeridade para as obras que são realizadas dentro da própria unidade, uma vez que não é mais necessário aguardar o abastecimento externo de blocos para desempenhar as obras essenciais”, disse o diretor adjunto da UPP, Dyego Corrêa Castelo Branco. Entre os planos para o futuro, após as reformas e construções na UPP, estão previstas a distribuição dos blocos para outras unidades do sistema prisional e fechamento de parcerias com empresas e lojas de construção para revenda da produção excedente.

Remição pelo trabalho – Além de garantir atividades práticas para uma futura nova profissão, os internos participantes da fábrica de tijolos também garantem a remição de pena pelo trabalho, prevista na Lei de Execução Penal (LEP), Lei nº 7.210, que resulta em um dia de pena a menos a cada três dias de trabalho.