Com os cemitérios fechados, sem possibilidade de visita aos túmulos, a Prefeitura de Manaus realizou, no final da tarde desta segunda-feira (2), uma cerimônia transmitida ao vivo pela internet com a presença de líderes religiosos para que não faltasse aos familiares e amigos a oportunidade de homenagear seus entes queridos.

“Assim como toda população de Manaus, também fiz de casa as minhas homenagens aos meus entes queridos e acompanhei a linda homenagem dos líderes religiosos. Assim, proporcionamos uma forma moderna e segura de homenagear àqueles que perderam suas vidas para essa terrível doença e também demonstramos respeito à diversidade das religiões, unidos pela fé”, afirmou o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto.

A cerimônia, batizada de “Momento de Oração”, foi celebrada diretamente no cemitério Nossa Senhora Aparecida, bairro Tarumã, zona Oeste. A “live” em memória dos mortos pela Covid-19 foi transmitida ao vivo pela página da Prefeitura de Manaus no Facebook.

Líderes religiosos convidados

Ao todo, foram dez líderes religiosos convidados, de nove religiões: Elizete Tikuna, do Parque das Tribos; o arcebispo de Manaus, dom Leonardo Steiner e o padre Zenildo, da igreja Católica; o pastor André Castilho, da Ordem dos Ministros Evangélicos do Amazonas; Alberto Jorge, representando religiões de matrizes africanas; Isac Dahan, do Comitê Israelita; Afonso de Ligorio Machado, da igreja Messiânica; Tamer Mohamed, do Centro Islâmico de Manaus; Dilton Vasconcelos, da Federação Espírita; e o missionário Paulo Cesar Santos, da Sukyo Mahikari.

Para as lideranças religiosas presentes, a cerimônia deu a oportunidade para a celebração dos mortos, acima de qualquer diferença religiosa. “O que pretendemos, a partir da sensibilidade religiosa, é encontrar respostas para esse momento tão difícil para as pessoas, que não podem estar presentes nos locais onde estão enterrados seus mortos”, disse o padre Zenildo, na abertura da cerimônia.

Presente no evento representando os evangélicos, o pastor André Castilho, também destacou a união nesse momento difícil e o respeito à fé entre suas várias manifestações. “Eu estou com o coração cheio de paz nesse evento, porque estamos consagrando ao nosso Deus e homenageando nossos mortos”, disse o pastor.