Circula nas redes sociais uma carta com pedido de desculpas aos vizinhos, em nome do dono do supermercado Baratão, que relata que vem sendo atacado após o filho ter dado uma festa na noite de sábado (27), que virou alvo da polícia.

No texto, o comerciante afirma que estava na fazenda quando ocorreu a festa, e que só soube do que estava acontecendo porque uma vizinha ligou e contou que havia som alto na residência. Ele conta ainda, que de imediato, voltou para Manaus e ordenou que o filho encerrasse o evento; que o filho agiu “sem noção” e que pede desculpas por ele e pelo pai.

“É incrível como as coisas boas, ninguém comenta. Eu e minha família doamos nosso tempo e nossas economias, indo para São Paulo, para comprar e doar oxigênio e salvar centenas de vidas em nossa cidade e nosso interior. Fiquei 40 dias viajando e comprado oxigênio, remédios e os kits para usar nos cilindros. Mas não estou tentando justificar o erro com uma boa ação”, desabafa.

No fim da carta, ele pede para que a síndica deixe de ser ‘crucificada’: “Se houver alguma reclamação cível ou criminal contra a síndica, meu filho assumirá o seu erro. Se a síndica for indiciada, o Edilson filho vai assumir o seu erro, e não ela responde pelo erro dele”, finaliza o empresário.