“Acredito que ele matou meu filho por perversidade mesmo. Ele abraçou meu filho e já foi o esfaqueando, que não teve tempo para se defender e nem para receber socorro…”, esse foi o desabafo da mãe de Roberto Melo Arouca, que tinha 32 anos, morreu após ser atingido por golpes de faca desferidos por um homem conhecido como Gerson Pinheiro Gonzaga. O fato ocorreu no último sábado em uma festa na comunidade do Caiçara, situada na zona rural de Borba.

A mãe da vítima, Antônia de Souza Melo disse que Gerson e o filho dela eram amigos, pelo menos era o que todos pensavam até Gerson esfaquear Roberto durante uma partida de vôlei. “…O Roberto morreu ali, na hora, sem poder falar nada. Só deu um último suspiro e morreu olhando a companheira dele, que estava desesperada. O crime aconteceu por volta das 21h30 e só levaram ele para cidade quando ele já estava morto. Isso quase meia-noite”, contou a mulher.

Ainda de acordo com a mulher, após cometer o crime, Gerson teria pegado uma bolsa e fugido da comunidade. Para isso ele teria recebido ajuda da família dele para fugir. “Gerson estava bebendo e consumindo drogas. Ele falava que tinha que matar uma pessoa e injustamente tirou a vida do meu filho. Na comunidade não tem delegacia, só na sede de Borba. Para a polícia vir aqui, nós tivemos que ir atrás de uma lancha. Doamos gasolina e óleo para eles procurarem o suspeito e, quando chegaram aqui, nem foram na casa da mãe dele”, contou dona Antônia.

As informações foram confirmadas pela escrivã de polícia Carla Marques, gestora da 74ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP). Segundo a gestora as equipes da unidade policial estão realizadas intensas investigações para localizar e prender o infrator.