O Vinci Airports arrematou o bloco Norte com a proposta de R$ 420 milhões, um ágio de 777,41% em relação ao lance mínimo que era de R$ 47,86 milhões. Esse bloco inclui os aeroportos de Manaus (AM), Tabatinga (AM), Tefé (AM), Porto Velho (RO), Rio Branco (AC), Cruzeiro do Sul (AC) e Boa Vista (RR).

De acordo com o Ministério da Infraestrutura, os três blocos de aeroportos – liderados por Curitiba, Goiânia e Manaus – processam, juntos, cerca de 11% do total do tráfego de passageiros do país, o equivalente a 24 milhões de viajantes por ano, segundo dados de 2019.

As concessões têm duração de 30 anos. A partir da eficácia do contrato, as empresas têm 36 meses para promover os investimentos na infraestrutura para prestação de um serviço adequado aos cidadãos.