Com passagem marcante pelo Manaus e fundamental no acesso do time para a Série C do Campeonato Brasileiro em 2019, o atacante Rossini foi acusado de tentativa de estupro por uma funcionária do clube, na última terça-feira, 6. Segundo o boletim de ocorrência registrado pela vítima, o crime foi praticado no dia 10 de março de 2019, quando o jogador defendia a camisa do Gavião do Norte.

Segundo consta no BO, registrado no 12º Distrito Integrado de Polícia (12º DIP), na ocasião do fato, a mesma informou que estava preparando o café da manhã dos jogadores de futebol do clube onde trabalhava, quando o suposto autor, foi até a copa e começou a insinuar que compraria uma lingerie para ela, perguntando o tamanho que ela usava e a cor que gostaria, para sair com ele. Em seguida, o indivíduo mostrou suas partes íntimas, a beijou com força e a pressionou contra a parede. Foi aí que a vítima teria gritado e corrido para pedir ajuda, de acordo com o boletim.

Além do episódio, a vítima contou ainda que frequentemente era assediada pelo jogador, que atualmente veste a camisa do Interporto-TO. Por três temporadas, Rossini jogou pelo Manaus, onde foi bicampeão amazonense e decisivo nos jogos eliminatórios da Série D, com gols que garantiram a vaga do Gavião na terceira divisão do futebol brasileiro.

Segundo o delegado Mauro Soares, titular do 12ºDIP, a vítima já foi ouvida e as investigações acerca do caso estão em andamento. A Polícia Civil salientou, ainda, que mais informações não poderão ser repassadas para não atrapalhar os trabalhos policiais.

Manaus se manifesta

Em nota oficial nas redes sociais, a direção do Manaus se disse estarrecida com a denúncia de abuso sexual envolvendo o ex-jogador do clube e que não teve conhecimento do caso. No entanto, o clube afirmou que está à disposição das autoridades competentes e que está prestando todo o apoio psicológico e jurídico à vítima.

Por fim, o clube ressaltou que defende e enfatiza que mulher alguma merece passar por qualquer tipo de violência, repudiando tal ação.