E esse negócio de CPI para tirar os rapazes do comando do Governo e colocar outro bom garoto sem ter tido um único voto para governador? É um filme repetido. Às vésperas de eleições para prefeito, que nem aconteceu no passado recente, onde a quantidade de CPI´s e Pedidos de Impedimento dos mandatários do sistema é de dar dó, é “conversa pra boi dormir” e pro Negão tentar explicar.

Porque do jeito que ficou, ou está. é para o pré-candidato David Almeida – seu principal opositor, ser devorado pelos leões de circo da ALE ou seu João de Deus, do Santa Etelvina, com todo respeito e razão à Santa e aos moradores do bairro, saberem que Mazoca está a delirar. O cara quer tudo. Pode ser a Prefeitura ou o Governo do Estado, não necessariamente nessa ordem.

 

Lastro de vil metal

Quem inventou a UEA, tem peito, lastro e crença pra destampar e promover toda putaria – que nos perdoem as moças da vida fácil. Com um prego em cada Governo pra começar a desenvolver o que cada martelada dá, o que cada mandatário fez com as verbas da Saúde, Educação, Segurança e onde o “caboco” pode se enrolar, no caso o próprio Amazonino, que a cada eleição antes de se candidatar, ganhar ou perder e fazer muita armação.

Samuel já está na área

O que não pode é bagunçar as ideias com a aparição de um novo candidato do porte do Menezão, com apoio do compadre Jair Messias oferecendo o que o povo precisa, com a patente de coronel do EB, preparação superior e limpo. Para tanto, Samuel Hanan, que perdeu o status de superintendente da Suframa de fato, já entrou em campo com suas pesquisas para tentar conter o crescimento da popularidade do Coronel Menezes em menos de dois dígitos.

O Negão reclama e quer fingindo que é Messias ou semi-Deus, na luta do bem contra o mal e que tudo vai resolver pela experiência. Daí colocar o Josefa para tentar tirar o Wilson Lima e o Carlos Almeida do estágio de governo no Amazonas por força do Impeachment. O povo já não aguenta conversa de “Eu sou o que vocês precisam”, promessa de ocasião de quem anuncia transformar o caos no paraíso. Ou prefeito ou governador, tanto faz como tanto fez.

Até breve!

Como dizia o saudoso Joãozinho Trinta, carnavalesco da Beija Flor, transexual e filósofo, antes do desfile apresentar: “…quem gosta de pobreza é intelectual, pobre gosta mesmo é de brilhar”. Fica a dica pro Mazoca e pra que marqueteiro Martinelli que o Dr. Deodato quiser contratar. Entre a miséria e a esperança o povão não vai vacilar. Até porque em todos essas décadas de penúria, Amazonino teve chance de evitar tanta exclusão, a mesma que alguém está levando adiante na maior enrolação.