Familiares de Endrio de Souza Silva, de 20 anos, acusam militares das Rondas Ostensivas Cândido Mariano (Rocam), de executar o entregador delivery na noite de terça-feira (30), na rua 2 de Agosto, do bairro da União, na rua Centro-Sul de Manaus.

Segundo familiares, a vítima não tinha envolvimento com o crime e estava acompanhado com dois amigos após o fim do serviço, quando militares o confundiram com bandidos que haviam cometido assaltos na região. Um tio do jovem disse que Endrio e Josafe Apurinã, foram abordados, mostraram os documentos e mesmo assim, foram baleados e levados dentro do camburão de uma viatura até o Hospital 28 de Agosto.

Endrio chegou morto na unidade de saúde e Josafe passa por cirurgia.

Para a imprensa, a avó da vítima disse ainda que os R$200 que estava no bolso da vítima sumiram.

Controvérsias

A Polícia Civil informou a Rocam afirmou que estava fazendo ronda, quando foi abordada por um motorista de aplicativo, após o mesmo  ter sofrido tentativa de roubo; logo depois avistaram uma motocicleta com os dois homens que haviam tentado o crime, e, durante abordagem à dupla, foram recebidos com tiros, momento em que revidaram os disparos.

O motorista, que sofreu a tentativa de roubo compareceu ao 1º DIP, onde o caso foi registrado, para dar seu testemunho sobre os fatos. Um revólver calibre 32 foi apreendido, juntamente com porções de entorpecentes.

A Corregedoria Geral do Sistema de Segurança informou que, como é padrão em todos os casos de intervenção policial, uma sindicância é instaurada paralelamente ao inquérito policial para melhor esclarecimento dos fatos.