A família do motorista de transporte por aplicativo Cassiano da Silva Costa, 26, afirma que o corpo encontrado no igarapé do 40 não é dele, como foi divulgado pelo Instituto Médico Legal (IML).

De acordo com o sogro de Cassiano, após receberem a noticia de que o corpo seria dele, eles compareceram no instituto para fazer reconhecimento do corpo, mas afirmaram que não é de Cassiano.

De acordo a esposa do desaparecido, Silvia Jéssica da Silva Oliveira, 25, relatou que, na ocasião do desaparecimento, o marido saiu para trabalhar como motorista de aplicativo de transporte e desde então, não foi mais visto. Ela disse que Cassiano saiu em um automóvel da marca Volkswagen, modelo Virtus MF, de cor azul, que não foi encontrado.

O caso foi registrado e será investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

No entanto, no sistema do Instituto continua constando os dados do motorista.