No programa Fan Esportes desta quinta-feira (10), o presidente do Fast Clube, Dênis Albuquerque, é o convidado e vai falar sobre a trajetória do Fast neste ano e a disputa pela classificação nesta semana.

O Fast está jogando na série D do Brasileirão e tentanto conquistar sua classificação para a série C, e o jogo do próximo domingo contra o Moto Clube (MA) será decisivo.

Atualmente o Fast está jogando nas competições eliminatórias, o conhecido “mata-mata” de ida e volta, e está se preparando para o jogo de volta contra o Moto Clube.

Preparo garantido

Mesmo com a pressão para uma vitória no próximo domingo (13) na Arena da Amazônia, o presidente do Fast garante que a equipe está preparada para a segunda partida contra o time maranhense.

“As expectativas são as melhores possíveis, o Fast tá preparado e, claro, respeitando a equipe tradicional do Maranhão, vamos dar o nosso melhor e iremos em busca da classificação”, afirmou Dênis Albuquerque.

A segunda fase do mata-mata da série D reúne 32 times que se enfrentam em jogos eliminatórios de ida e volta e, dentre eles, 16 clubes vão se classificar para as oitavas de final.

Lance polêmico

O Fast conseguiu empatar no último minuto com o Moto Clube no jogo de ida, que aconteceu no último domingo (6), mas o jogo ficou marcado por um lance polêmico que, de alguma maneira, a arbitragem não viu.

Aos 33 minutos do segundo tempo, o atacante Dija Baiano do Fast tentou um cruzamento para a área, mas foi interceptado pelo zagueiro Guilherme do Moto Clube, que colocou a mão na bola para tirá-la do caminho.

Mesmo configurando pênalti, o lance não foi assinalado pelo árbitro José Wellington Bandeira, e acabou resultando em uma nota de repúdio pedindo que CBF revise a arbitragem e também cobrando um posicionamento da Federação Amazonense de Futebol (FAF).

Mas Dênis afirma que o mais importante agora é focar na próxima partida. “O lance foi escandaloso, todos viram, só a arbitragem que nao viu, mas isso aí nao volta atrás e não vai mudar o resultado do jogo”.