O programa de drenagem e recuperação dos igarapés teve uma componente saudosista sobre a qual ninguém pôs a devida atenção. Trata-se de uma promessa de quase trinta anos do então prefeito Braga, e que foi colocada na propaganda eleitoral da campanha do então aliado Buchada à prefeitura de Manaus, em 1996. Teve Ação Conjunta do Negão com o Cadeira e vice-versa. Do Turco com o Artur, do Melo com o inimigo etc. etc. etc

 

Bomba d´água 

Além da limpeza e recuperação dos igarapés fazia parte dessa promessa eleitoral a construção de parques residenciais na orla dos tais igarapés e o metrô de superfície. Um festival de pirotecnia na tevê para enganar a população. De concreto mesmo somente o Prosamim – onde as águas dos igarapés soterrados estão a ponto de jorrarem sobre os apartamentos construídos sobre o leito dos igarapés.

 

Necas de pitibiriba 

Com os buracos da Djalma e da Getúlio Vargas avisando que a natureza está viva e as águas de março pedem passagem, nada ou quase nada foi feito na gestão de todos os prefeitos, desde da época do saudoso Cel. Jorge Teixeira, além de uma dragagem meia bomba de alguns trechos do igarapé do Mestre Chico e do Espírito Santo. Só propaganda.

 

E tome chuva 

As chuvas voltaram a revelar toda a fragilidade dos equipamentos públicos no início desta temporada de inverno. Além da cratera aberta e fechada em tempo recorde no Vieiralves, vários bairros da Zona Leste, Sul e Oeste ficaram rigorosamente ao deus-dará. Bombeiros e Defesa Civil fazem o que podem com o que têm em mãos: quase nada.

 

Incoerência carioca 

Por que somente agora os vereadores estão pedindo uma CPI para a Amazonas Energia e os deputados pedindo para que o serviço continue em home office, no Rio de Janeiro? Arrumando as gavetas de seu gabinete, o deputado Josué Neto só pensa naquilo, assumir sua vaga vitalícia no melhor cargo do mundo: conselheiro do TCE. Já que na presidência do órgão legislador e fiscalizador não fez absolutamente nada. E no TCE, espera o quê?

 

Cheiro de Gás  

O estopim pode ser o gás. Depois daquele bate-boca com denúncias de chantagens e extorsões feitas pelo conselheiro Ari Moutinho, bem como a aprovação de todas as contas de David se não estavam de acordo os dados contábeis daquela instituição como parte do acerto, a passagem de cargos pode ter faíscas que antecede às explosões na casa. Muito cuidado com o vazamento de gás, excelência!

 

NINGUÉM MERECE!!!!! 

  • É óbvio que muita coisa mudou com a mudança de conselheiros e a aprovação de contas deixaram de ser uma caixa de surpresas e uma fábrica de corrupção.
  • Houve um tempo que o TCE era conhecido como “tribulins” onde bastava ter o DNA da família para garantir uma vaga de emprego na casa. Lembram?
  • Foi ali que ele começou a trajetória bem sucedida – na ótica de seu extrato bancário – que culminou com muitos escândalos. Contas aprovadas pelos conselheiros da época. Lembram disso?
  • Mas, hoje os tempos são outros, sem exceções nada passa sem o crivo da maioria. Apesar de muita coisa ser legal, continua sendo imoral.
  • O TCE deixou de ser uma capitania hereditária faz anos, apesar de que alguns teimam em continuar com as velhas práticas. Aguardem!