As forças de segurança pública do Amazonas estão com tudo pronto para o segundo turno das eleições, que ocorre neste domingo (29/11), para o cargo de prefeito de Manaus. A cidade é a única do estado em que os eleitores voltarão às urnas. Para garantir a tranquilidade na festa da democracia brasileira, mais de 4 mil agentes da segurança pública serão empregados no pleito. Os trabalhos envolvem a Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), a Polícia Militar, a Polícia Civil, o Corpo de Bombeiros e o Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM). Além do efetivo diretamente empregado no pleito, em ações como acompanhamento de zonas eleitorais e o atendimento de denúncias de crimes eleitorais, haverá um reforço no patrulhamento para prevenir ocorrências, no atendimento dos Distritos Integrados de Polícia (DIPs), ações nas unidades do sistema prisional, lanchas e viaturas disponíveis para melhor deslocamento.

A Polícia Militar vai atuar no perímetro urbano e rural da capital amazonense, já a partir de sábado (28/11). “Essa é uma operação integrada para assegurar ao cidadão que o seu direito de votar aconteça dentro da maior tranquilidade. Além de todo o efetivo empregado nas ruas, vamos ter a base de acompanhamento situacional no CICC (Centro Integrado de Comando e Controle), em que poderemos ter um monitoramento em tempo real da cidade”, enfatizou o secretário de Segurança, coronel Louismar Bonates. Os trabalhos começam no sábado, com a operação “Lei Seca”, que ocorrerá em duas frentes. Uma delas será com a Central Integrada de Fiscalização (CIF), coordenada pela SSP com participação de órgãos das esferas estadual, federal e municipal. Em outra ponta, estará a Polícia Civil, que também vai atuar para que o decreto da SSP e do Tribunal Regional Eleitoral seja cumprido.

 

No domingo, assim como ocorreu no primeiro turno, a Delegacia Especializada em Repressão e Crimes Cibernéticos (DERCC), que fica localizada nas dependências da Delegacia Geral (DG), no bairro Dom Pedro, seguirá como base para procedimentos eleitorais, fazendo os registros de Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO), que correspondem a crimes de menor potencial ofensivo. A Polícia Civil explica que os crimes eleitorais serão encaminhados para a base, e a autoridade policial irá determinar a lavratura do TCO, liberando o autor em seguida, desde que ele assuma o compromisso de comparecer ao juiz eleitoral para maiores esclarecimentos depois.

A Polícia Federal (PF) cuidará das prisões em flagrantes. Todas as delegacias da Polícia Civil funcionarão das 7h às 17h em Manaus.