O apelo do prefeito Arthur Virgílio Neto, dirigido aos líderes de países ricos, solicitando ajuda para combater a Covid-19 e proteger as etnias indígenas e os povos tradicionais do Amazonas foi ouvido pelo governo da França, que destinou recursos na ordem de €$ 500 mil, aproximadamente R$ 3 milhões, para serem investidos no fortalecimento de ações de enfrentamento à pandemia nas áreas de assistência social e saúde.

“Quando soube que a ajuda viria, gravei um vídeo ao presidente Emmanuel Macron, agradecendo e falando, de forma especial, sobre os efeitos devastadores da pandemia em relação não só ao nosso povo, mas principalmente sobre os indígenas”. Os recursos, já nos cofres da Prefeitura de Manaus, foram destinados com base na apresentação de dois projetos, com custo de até €$250 mil cada. Na saúde, será ampliado o atendimento às populações vulneráveis e aos povos indígenas, brasileiros e estrangeiros, com aquisição de equipamentos e insumos, que totalizam investimento de R$1.427.370. Para a assistência social, o projeto contempla a aquisição de cestas básicas para atender 15.585 famílias, o que representam aproximadamente 78 mil pessoas. O valor total dessa aquisição está estimado em R$ 1.428.571.

“Fizemos o possível para ampliar nossas ações e salvar vidas. Criamos um hospital de campanha, com recursos próprios e fundamental apoio da iniciativa privada, que desafogou em muito os hospitais do Estado e curou mais de 600 pessoas em quase dois meses de funcionamento. Levamos saúde básica aos nossos irmãos ribeirinhos, com nossa UBS Fluvial, e distribuímos cestas básicas à população carente, incluindo indígenas. Agora, sem dúvida, poderemos garantir a continuidade dessas ações, sobretudo durante a crise econômica causada pelos efeitos da pandemia, com falta de emprego e renda. Manaus e a Amazônia agradecem a solidariedade do governo francês”, finalizou o prefeito Arthur Virgílio.