Flávia Godinho Mafra, de 24 anos, grávida de 36 semanas, foi covardemente assassinada e teve o filho arrancado pela melhor amiga, em Canelinha, na grande Florianópolis. A assassina foi presa nessa sexta, um dia após o desaparecimento da vítima, que foi encontrada pela família nesta sexta. Rozalba Grimm, que confessou o crime, após perder o bebê, se juntou com o marido e os dois planejaram o crime, e tentaram enganar os médicos, chegando ao hospital com a criança arrancada da mãe verdadeira com um estilete.

Local onde o corpo foi achado

O delegado de Tijucas, Paulo Alexandre Freyesleben, afirma que Flávia também levou tijoladas na cabeça para morrer. O bebê, machucado pelos golpes de canivete, passa bem. Assassina e marido estão presos.

Fávia estava desaparecida desde quinta, quando foi levada pela assassina de carro, acreditando que iria a um chá de bebê. O marido e a mãe de Flávia encontraram o corpo dela abandonado na cerâmica.

Após o crime, a autora mandou mensagens para uma profissional de saúde informando que havia ganhado bebê na rua. Depois, ainda postou nas redes sociais uma mensagem pedindo às pessoas que encontrassem Flávia.

Bebê teve o corpinho machucado pela assassina que matou mãe inocente

Foi a mãe de Flávia Godino que encontrou o corpo da filha na cerâmica abandonada. Os pais estavam no local e viram a filha totalmente dilacerada.