O governador Wilson Lima esteve reunido, nesta terça-feira (06), por videoconferência, com representantes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para discutir estratégias para a concessão de atividades turísticas em parques naturais do Amazonas.

Esse modelo de gestão em parceria com a iniciativa privada já é adotado em outros parques do Brasil, como o Parque Nacional da Tijuca (Corcovado), no Rio de Janeiro, e o Parque Nacional do Iguaçu, no Paraná.

Segundo o governador Wilson Lima, a exploração dessas atividades pela iniciativa privada permitirá, ao mesmo tempo, a conservação e uso adequado dos parques, bem como a geração de renda para as comunidades locais.

Parques aptos para concessão

De acordo com o secretário do Meio Ambiente, Eduardo Taveira, o Amazonas possui dois parques estaduais aptos para a concessão à iniciativa privada: o Parque Estadual (PAREST) do Rio Negro – Setor Norte, no município de Novo Airão, e o Parque Estadual (PAREST) Sumaúma, na Cidade Nova, zona norte de Manaus.

O Parque Sumaúma, com 52,62 hectares de área, é um refúgio verde na capital amazonense. O parque contempla não apenas opções de lazer ecológico para toda a família, mas também abriga uma vasta biodiversidade de flora e fauna.

O lugar é o lar de três famílias do macaco Sauim-de-Coleira, animal-símbolo da cidade de Manaus, além de aves raras, como a garça real.