Não pense o cidadão que a cruzada de interesse político-eleitoreiro pela retomada do governo do Amazonas está preocupada com a falta de leitos nos hospitais público e particulares de no Amazonas, nem a falta de espaço nos cemitérios para enterrar as vítimas da pandemia. A verdadeira pandemia iniciada com a derrota de Amazonino para a prefeitura está na espera que tudo piore do que já está para o golpe de misericórdia nos estagiários do palácio da Compensa.

Cortar a cabeça 

Sob a coordenação da mente perversa do marqueteiro Egberto Baptista, o ex-governador Amazonino Mendes, com o auxílio do senador Eduardo Braga, de uma cambada de prefeitos do interior e até de um interlocutor com os Planaltos Centrais e respectivos aliados parlamentares, vai ter um breve desfecho ou será resolvida por um ato de vontade ou de arbítrio judicial. O Wilson Lima e o Carlos Almeida tem que sair do estágio. Ou por bem ou por mal.

Vale tudo 

A governança do estado transformada num inferno por conta da pandemia, incapacidade de propostas gerenciais, escândalos e brigas entre o governador, seu vice e secretários que lotearam o poder e desviaram os recursos federais vai feder a chifre queimado e rosca espanada do Rio Grande do Sul ao Amazonas até as últimas consequências e munição da conspiração em andamento.

Mea culpa 

Com o Dr. Deodato no exílio da Coméia, desde o começo o culpado apontado pela derrota do Negão em todos os pleitos que ele se meteu até aqui de quase todas as batalhas – o marqueteiro gaúcho Marcos Martinelli, contratado por Samuel Hanan, homem de confiança e guarda livros do Negão, não quer ver o Dr. Sinistro, nem pintado de róseo e ninguém controla mais a situação, nem mesmo Samuel, com seu cachimbo da paz e da grana.

Sabonete no chuveiro

Acontece que nessa sauna de vaidades Martinelli que fez tanto sucesso elegendo o governador do Rio Grande Sul José Ivo Sartori, não divide uma chuveirada com Egberto Baptista que entrou aos 45 do segundo tempo para transformar a vida do governador do Amazonas Wilson Lima num verdadeiro inferno. Não precisa, o vírus chinês acaba com qualquer governo. E cá pra nós, ele tem cumprido rigorosamente a promessa …

NINGUÉM MERECE 

Preocupado com a situação, o novo prefeito já começou a procurar um espaço para um novo cemitério em Manaus e disse que vai faltar covas. Que horror!

Um das providências imediatas de David foi visitar os cemitérios e quem sabe a e ampliação do Parque Tarumã. Deus é Pai!

Sem recursos do município para montar e aparelhar novas UBS, cuja solução do problema é exatamente o xis da questão e o nó da esculhambação.

Tanto o governo, quanto a prefeitura vão praticar um só esporte: bater à exaustão em tudo o que se refira ao passado, presente e futuro, nesta e na próxima encarnação do ex-prefeito Artur Neto. Duvidam?

Não vai sobrar pedra sobre nem contêiner frigorificados nas portas dos hospitais até que toda essa putaria na ótica de que a culpa é do governo Bolsonaro venha à tona.

Ou melhor, mande mais grana e que fique provado que o estado virou uma zona que de franca só tem o nome, mas na verdade é de absoluta e inconteste prostituição.