O Governo do Amazonas ampliou, nesta sexta-feira (5), a capacidade de atendimento do Hospital Nilton Lins, na zona centro-sul de Manaus. A unidade de campanha passa a operar com 103 leitos, sendo 81 clínicos e 22 de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). A entrada de pacientes se dará por encaminhamento via Sistema de Regulação (Sisreg).

A unidade foi reativada há poucas semanas e operava com 43 leitos clínicos, inicialmente. O governador Wilson Lima explicou que o incremento de mais 60 leitos faz parte do Plano de Contingenciamento elaborado para o combate à pandemia da Covid-19 no Amazonas, que prevê a abertura de 350 novos leitos na rede pública de saúde do Estado, sendo 100 deles para terapia intensiva.

“Até segunda-feira (8), vamos abrir no Hospital Platão Araújo, mais 22 leitos de UTI e oito leitos em salas vermelhas, que serão direcionados aos cuidados intermediários. Há a projeção de abertura de leitos no Hospital Getúlio Vargas e no Hospital Delphina Aziz”, explicou o governador Wilson Lima.

O hospital Nilton Lins atende apenas pacientes internados em unidades de urgência e emergência, que são encaminhados por meio do Sisreg, sob responsabilidade da Central Única de Regulação e Agendamentos de Consultas e Exames (Cura).

Usina de oxigênio

No Hospital Nilton Lins já está em funcionamento, desde a terça-feira (02), uma miniusina com produção de 30 metros cúbicos/hora, fornecendo oxigênio para atender à demanda da unidade.

O governador ressalta que já estão em funcionamento 20 miniusinas das 64 previstas para o estado. “Já temos, entrando hoje, mais uma usina em operação. Então, vamos ter 20 usinas independentes, e isso perfaz uma produção diária de 9 mil m³, principalmente no interior e em grandes unidades de saúde na capital. Na quinta-feira, recebemos outras miniusinas que estamos encaminhando para seis municípios”.