Nesta quinta-feira (18/03), o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam) completa 25 anos de sua fundação, em 1996. O órgão conta atualmente com 546 servidores e 66 escritórios distribuídos por todos os municípios do Amazonas, levando serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) a mais de 85 mil famílias rurais.

“A principal agenda do Idam é de fazer a promoção humana no meio rural, por meio do desenvolvimento sustentável, com incentivo à produção agropecuária, geração de renda e ocupação econômica, transformando recursos naturais em riquezas distribuídas de forma democrática”, delineou o diretor-presidente do Idam, Valdenor Cardoso.

 

Para Cardoso, esta data é um momento para compartilhar com a sociedade amazonense a satisfação que o Idam tem em prestar os serviços de Ater em todos os municípios do estado. “Nossa meta é garantir aos pescadores, pecuaristas, agricultores e extrativistas do estado do Amazonas uma vida digna, por meio do incentivo ao desenvolvimento rural sustentável”.

Fundado em 18 de março de 1996, por meio da Lei Estadual n° 2.384, como uma autarquia de personalidade jurídica de direito público, autonomia administrativa, financeira e técnica, coube ao Idam executar as atividades antes desenvolvidas pela Secretaria de Produção Rural do Amazonas (Sepror), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Amazonas (Emater-AM), Codeagro e outras como a defesa agropecuária estadual.

“O Idam foi criado a partir da necessidade de se reorganizar o serviço de Ater do Amazonas. Até então a atividade estava inserida em uma estrutura com muitas funções de Estado, na Companhia de Desenvolvimento do Estado do Amazonas (Ciama). Na época, a Ciama atuava nas atividades de estado de infraestrutura, planejamento, orçamento, defesa agropecuária, entre outras funções. Era preciso criar um órgão que exercesse claramente o serviço de Ater”, explicou o extensionista rural e engenheiro agrônomo, José Milton, que atua no serviço de extensão rural desde 1980.

Segundo ele, a primeira tarefa estratégica do Idam foi expandir o alcance dos serviços de Ater para todo o estado. Milton explica que “o Idam conseguiu se instalar em todos os 62 municípios do Amazonas. Do ponto de vista estratégico, para o Governo do Estado, essa foi a primeira grande vantagem do Idam. Progressivamente o Idam foi instalando suas unidades locais nos municípios, ao ponto que hoje alguns têm mais de uma unidade”.

Servidores – Muitos dos servidores atuantes do Idam na época haviam sido herdados de outros órgãos que fizeram parte da história da extensão rural do Amazonas, como a Emater-AM, precursora do Idam. À medida em que servidores, alguns oriundos da Associação de Crédito e Assistência Rural do Amazonas (Acar-AM), aposentavam-se e migravam para outras instituições, a redução no quadro de recursos humanos começou a dificultar as atividades do Idam, como descreve o diretor de Assistência Técnica e Extensão Rural, Luiz Carlos do Herval Filho.

“A partir dessa situação surgiu a necessidade de um concurso público, que conseguimos realizar em 2018. Isso nos significou um grande reforço com a vinda de 227 servidores, dos quais em torno de 170 já tomaram posse. Esses concursados novos são o futuro da nossa instituição, o futuro da extensão rural no estado do Amazonas. Vemos com bons olhos a chegada de todos, a união dessa juventude com a experiência dos servidores da casa”, detalha Luiz Herval.

Atualmente, o Idam continua a prestar assistência técnica às famílias rurais do estado, adaptando-se às condições impostas pela pandemia de Covid-19 e dando cada vez mais atenção à questão ambiental, investindo em um desenvolvimento agroflorestal sustentável.

“Estamos neste momento trabalhando bastante a questão ambiental, fazendo com que o agricultor familiar também tenha esse reconhecimento junto aos órgãos ambientais e, com isso, também alcance muitas políticas públicas, alcance valores mais expressivos de crédito rural, para que ele catalise os seus sonhos. É nesse formato que eu vejo a extensão rural amazonense, através desta empresa pela qual eu tenho um carinho muito grande”, concluiu Luiz Herval.