A Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo estima que as fábricas localizadas no PIM (Polo Industrial de Manaus) deverão produzir 1.060.000 motocicletas em 2021.

O volume representa alta de 10,2% na comparação com as 961.986 unidades que saíram das linhas de montagem em 2020.

No varejo, a expectativa da Associação é de que sejam licenciadas 980.000 unidades, alta de 7,1% na comparação com as 915.157 motocicletas emplacadas em 2020. As exportações deverão totalizar 40.000 unidades, volume 18,5% maior em relação às 33.750 unidades registradas no ano passado.

Resultados em dezembro

Em dezembro de 2020, foram produzidas 73.471 motocicletas, volume 29,4% menor na comparação com novembro (104.094 unidades), mas 6,4% superior em relação às 69.062 unidades fabricadas em dezembro de 2019.

“Normalmente o volume de produção em dezembro é menor devido às férias coletivas. As fábricas aproveitam esse período para executar serviços de manutenção e instalação de novos equipamentos”, explica o presidente da Abraciclo Marcos Fermanian.

No varejo, foram comercializadas 98.775 motocicletas. O resultado foi 10,5% superior na comparação com novembro (89.409 unidades) e 5% maior em relação a dezembro do ano passado (94.086 motocicletas). A Street manteve o posto de categoria mais licenciada em dezembro, com 49.090 unidades e 49,7% do mercado.

Fechamento 2020

No ano passado, a produção de motocicletas totalizou 961.986 unidades. O volume superou a expectativa da entidade apresentada em outubro, que era de fabricar 937.000 motocicletas. De acordo com dados do portal de estatísticas de comércio exterior Comex Stat, os três principais destinos das motocicletas produzidas no Polo Industrial de Manaus foram Argentina (11.217 unidades), Estados Unidos (6.692) e Colômbia (5.875).

O presidente da Abraciclo atribui esse desempenho a dois fatores. “Hoje a motocicleta é apontada como um meio de locomoção seguro para evitar a aglomeração do transporte público e se transformou em um instrumento de trabalho e fonte de renda para as pessoas que passaram a atuar nos serviços de entrega”, explica Fermanian.

Os emplacamentos somaram 915.157 unidades em 2020. A Street foi a categoria mais emplacada com 458.577 unidades licenciadas e 50,1% do mercado. Na sequência vieram a Trail (176.975 unidades e 19,3% de participação) e Motoneta (141.656 e 15,5%).