Neste domingo (21), comemora-se o Dia Internacional da Síndrome de Down para aumentar a conscientização e defender os direitos, inclusão e bem-estar das pessoas que possuem a síndrome.

Síndrome de Down, ou trissomia do cromossomo 21, é uma alteração genética causada pela presença de três cromossomos 21. As pessoas com essa síndrome têm 47 cromossomos em suas células em vez de 46.

Atuante na luta pelos direitos das pessoas com deficiência,  Joana Darc , foi surpreendida com o diagnóstico de síndrome de down do seu primeiro filho, Joaquim. Para Joana, esta é mais uma razão para fortalecer essa luta em defesa dos direitos desses cidadãos.

Quando descobriu que seu filho viria ao mundo com uma dose extra de amor, Joana confessa que ficou assustada. “Eu não sabia o que iria encontrar, conheço os desafios da maternidade de uma criança com deficiência pelo meu trabalho. Meu marido e eu começamos a estudar sobre o assunto e buscar ajuda profissional, foi quando eu passei a enxergar tudo de outra forma, de maneira mais leve“, disse ela.

A mãe de Joaqui também solicitou pessoalmente ao prefeito de Manaus, David Almeida, que desse prioridade às pessoas com deficiência na campanha de vacinação contra a Covid-19 na capital e doou o próprio salário para comprar oxigênio durante a escassez do produto, e socorrer as pessoas com deficiência que fazem tratamento e necessitam do insumo.

“Pessoas com síndrome de down são capazes de sentir, amar, aprender, se divertir e trabalhar. Podem levar uma vida de maneira autônoma, com uma dose extra de cromossomo, o cromossomo do amor”, finalizou Joana Darc.