A Junta Comercial do Estado do Amazonas (Jucea) registrou em março de 2021 o maior número de empresas constituídas no Estado nos últimos cinco anos. Segundo dados do Sistema de Registro Mercantil (SRM) da autarquia, mesmo em meio à pandemia, foram criados 854 novos CNPJs em solo amazonense. O número é 54,7% superior ao registrado no mesmo período do ano passado, que teve 552 constituições.

Anteriormente, o melhor mês na geração de novas empresas no Amazonas havia sido setembro de 2020, após o retorno das atividades econômicas que estavam suspensas devido à pandemia do Covid-19, com a abertura de 706 novos empreendimentos.

Os dados da Jucea não incluem os Microempreendedores Individuais (MEIs), que são constituídos de forma virtual, por meio do portal do Empreendedor, do Governo Federal.

Para a presidente da Junta Comercial do Amazonas, Maria de Jesus Lins, a abertura recorde no estado pode estar sendo estimulada pela concessão de benefícios fiscais, adoção de tecnologia para simplificar o trâmite de novas constituições e abertura de linhas de crédito oferecidas pelo Governo do Estado.

“Os números mostram que estamos no caminho certo para a recuperação do nosso estado, em meio ao pior período da economia do Brasil e do mundo, diante da pandemia da Covid-19. A Jucea tem trabalhado e investido continuamente em sistemas tecnológicos que facilitem a simplificação das etapas do processo de abertura de empresas para os usuários do nosso estado”, afirma a presidente.

Tipo empresarial – Entre os tipos empresariais mais registrados no Amazonas em março, em primeiro lugar ficou a natureza jurídica de Sociedade Empresarial Limitada (quando o negócio tem dois ou mais sócios), com 321 constituições. Em seguida a Empresário Individual, com 310 empreendimentos e a Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (Eireli), com 222 novas aberturas.

Segmentação – Nos dados consolidados pela segmentação de Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE), em março foram 470 empresas abertas para prestação de serviços, 333 para a atividade de comércio e 28 para indústria.

Arrecadação – Conforme dados do SRM, a Jucea recolheu no mês de março o valor de R$ 1.304.624,00 em taxas.