​“Morreu porque matou gente inocente”, esse foi o recado deixado em cima de um cadáver encontrado nesta manhã (11), por volta das 6h, no quilômetro cinco do ramal do Brasileirinho, bairro Jorge Teixeira, zona Leste.

A vítima foi desovada no local. Indigente, é assim que ela deu entrada no Instituto Médico Legal (IML), após não ser reconhecida por ninguém. E assim permanecerá até que a família o tenha como desaparecido, para em seguida perceber que ele se encontra em um necrotério.

O crime tem várias faces. A maioria delas seduzentes. Festas, dinheiro fácil, mulheres, vida de luxo, ‘status’!

Todas elas muito atraentes aos jovens, que não leem nas entrelinhas, na hora de assinar um contrato com o “diabo”. Aqui não há direito ao contraditório, muito menos à defesa.

O que eles não te contam é que o mesmo ‘crime’ que te põem lá em cima, é o mesmo que te joga em uma cova sem dó nem piedade. Isso se tiver sorte, caso contrário o máximo de consideração que receberá será a desova em uma beira de estrada.

E mesmo assim, jovens continuam se filiando, por efêmeros momentos de ‘rei’. Será que o crime realmente compensa?