A eleição para decidir quem será o novo presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas foi parar na Justiça e pelo jeito vai longe. Após elegerem Roberto Cidade (PV) para comandar a casa pelos próximos dois anos, os 16 deputados que votaram pelo colega do Partido Verde tiveram um revés nos tribunais. A pedido do deputado Saulo Viana o desembargador Wellington José de Araújo tornou sem efeito o pleito.

Os deputados derrotados alegam que os vencedores burlaram regimento após alterar  uma PEC para mudar a Constituição do estado. Além de Cidade, venceram a eleição  o atual presidente Josué Neto (PRTB), que virou vice-presidente, e  Mayara Pinheiro (Progressistas), segunda vice-presidente; Adjuto Afonso (PDT), terceiro vice-presidente; Delegado Péricles (PSL), secretário-geral; Álvaro Campelo, primeiro secretário; Sinésio Campos (PT), segundo vice-secretário; Fausto Júnior (PRTB), terceiro vice-secretário; Felipe Souza (Patriota), ouvidor; e Therezinha Ruiz (PSDB), corregedora.

Os derrotados foram da chapa de Belarmino Lins (Progressistas), Abdala Fraxe (Podemos); Cabo Maciel (PL); Saullo Vianna (PTB); Dr. Gomes (PSC); Joana Darc (PL) e Alessandra Campelo (MDB). Com a eleição suspensa, aguarda-se os próximos capítulos.

]