A Promotoria de Justiça de Novo Aripuanã, na calha do rio Madeira, realizou diligência na comunidade rural do município para apurar informação, prestada pelo Conselho Tutelar local de que uma criança de 5 anos estava sendo vítima de maus tratos pelo padrasto.

Uma equipe formada pela Promotora de Justiça Jarla Ferraz Brito, policiais militares, conselheiros tutelares e assistente social do município foi ao local onde a família reside. No exame inicial da criança, não havia sinais de violência, mas a família passará a ter acompanhamento profissional para um estudo mais detalhado da convivência dentro de casa.

Na residência da família, moram apenas a mãe, dois filhos pequenos e o marido.

Na segunda-feira, a mãe deverá comparecer ao conselho tutelar e Ministério Público para prestar mais informações. “Como agora, na pandemia, aumentou a violência contra mulheres, crianças e adolescentes, achei melhor ir verificar pessoalmente”, diz a promotora Jarla Ferraz.

 

 

Com informações da assessoria

Foto: MPAM N.Aripuanã