O marido da sargento do Exército, Bruna Carla Borralho Cavalcanti de Araújo, de 27 anos, entrou na mira da polícia do Rio de Janeiro. Três semanas antes do crime, ela registou B.O. contra ele por agressão motivada por ciúmes.

Além disso, o suposto assaltante atirou na vítima mesmo ela colocando as mãos na cabeça e se rendendo. E mais: o marido dirigia o carro e alegou que o veículo aqueceu o motor, parando o carro no local onde o matador apareceu, sozinho, do nada, de capuz.

Outro fato que chamou a atenção foi que os disparos foram dados na cabeça. Ninguém da família foi baleado. Estavam no veículo três sobrinhos de Bruna, o marido e a irmã. O corpo dela foi sepultado nesta terça-feira.

“Que a justiça seja feita e não caia no esquecimento como mais uma vítima ou mais um número pra estatística de uma violência que só aumenta, porque a família não esquece nunca. É um vazio que jamais será preenchido. Tiraram uma filha dos seus pais, uma irmã tão querida que era o nosso elo forte, tiraram uma tia dos seus sobrinhos”, escreveu a irmã nas redes sociais.