“Submeteu a criança a um sofrimento intenso, que é ter as mão queimadas como forma de castigo. E confessou que queimou a criança para puni-la por pegar um dinheiro que seria para comprar comida. Esse castigo excedeu todos os limites e configurou um crime gravíssimo da legislação brasileiro que o crime de tortura”, explicou a delegada Joyce Coelho ao anunciar em coletiva de imprensa que a mãe que queimou o filho de 8 anos com óleo quente no Aliança com Deus, na zona Norte de Manaus.

Ainda de acordo com a delegada, a mulher foi detida ontem, mas foi liberada após dizer que foi um acidente doméstico. No entanto, após a Depca receber um vídeo que comprova o relato do menino, de que foi queimado propositalmente pela mãe, foi comprovado o crime e ela foi presa em flagrante.

A mulher deve responder processo pelo crime de tortura.

 

Entenda o caso

O conselheiro tutelar José Weverton Rodrigues, do Conselho Tutelar na zona Leste, falou com o jornal Maskate News e contou que por volta das 17h o serviço social do hospital ligou para ele informando que uma criança internada estava sem acompanhante. No local ele foi informado pelas enfermeiras que a mãe do menino tinha sido levada para a delegacia por suspeitas de negligência e maus tratos.

“Fui conversar com a criança, onde a mesma acabou relatando que teria sido a mãe a causadora das queimaduras. Nós estamos dando início ao trabalho de apuração dos fatos e iremos colher o depoimento da mãe assim que ela for encontrada”, relatou o conselheiro tutelar.

O conselheiro disse ainda que conversou com outros parente da vítima, e segundo eles a criança é problemática. No entanto Weverton achou estranho eles ficarem a todo momento tentando culpar o pequeno e vai pedir à Justiça que a vítima seja retirada do lar e enviada para um abrigo ou para um responsável que possa zelar pela segurança dela.

Um vídeo que chegou à delegada mostra a criança gritando de dor, após ter a pele arrancada pelo óleo quente, forma de castigado usada pela mãe após o menino pegar o celular dela.