Uma cobradora de ônibus de 36 anos foi vítima de agressão física pelo companheiro de trabalho dela, um motorista de ônibus de 36 anos, após ela pedir para ele abrir a porta traseira do ônibus para que um senhor descesse com uma roçadeira. O caso foi registrado no 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP), e posteriormente encaminhado para o 15º DIP,  na noite de quarta-feira (04/08), por volta das 19h.

Conforme consta no BO, o fato ocorreu no terminal da linha 500, situado no conjunto Galiléia, bairro Nova Cidade, na zona norte da capital. Na ocasião, os dois teriam iniciado uma discussão e, em seguida, o motorista teria cometido vias de fato contra a vítima.

De acordo com a mulher, um senhor carregando uma roçadeira entrou por trás, pagou a passagem e pediu para descer por onde havia subido, para facilitar. Ao chegar no local indicado ela acionou um botão que indica que a porta traseira deveria ser aberta, no entanto ele não parou.

“Quando chegamos no final da linha, fui conversar com ele para saber o porquê ele não tinha aberto a porta traseira. Ele veio na maior ignorância e me ofendeu com palavrões. Depois disso, ele me agrediu com dois tapas no rosto e tapas no braço. Eu acabei passando mal e os colegas que me socorreram e acionaram uma viatura policial.  Eu quero Justiça, pois nenhuma mulher merece apanhar”, contou a vítima para a polícia.

O caso será investigado pela equipe do 15º DIP.