Início de ano é marcado por previsões e, para analistas do mercado financeiro consultados pelo Banco Central, a expectativa é pela retomada da economia. Segundo dados do primeiro Boletim Focus do ano, divulgado nesta segunda-feira, 4, a expectativa é de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 3,40% em 2021, após a recessão de 2020 ocorrida devido a pandemia do novo coronavírus. A crise sanitária ainda não foi embora, mas a expectativa é de continuidade na recuperação das atividades, que passaram por choque no ano passado.

A retomada das atividades econômicas, que ganhou fôlego no terceiro trimestre de 2020, somada a expectativa pela vacinação da população são os fatores que o mercado leva em consideração para estimar a recuperação econômica. Além disso, o andamento da agenda de reformas também é essencial para melhorar o ambiente de negócios e destravar investimentos, empurrando assim a retomada. Os benefícios utilizados para segurar o tombo econômico de 2020, como o auxílio emergencial, não estão mais vigentes.

Vale lembrar que fatores externos impactam o desempenho da economia, incluindo doenças e política externa. No ano passado, por exemplo, a previsão era de crescimento de 2,3% no início do ano, mas o choque de demanda trazido pelo coronavírus impactou em recessão. A estimativa de recuo da economia brasileira em 2020 é de 4,36%, segundo o Focus divulgado nesta segunda. O resultado do PIB do ano passado será revelado no próximo mês de março.