Nesta quarta-feira (19/08), a equipe de investigação do 22° Distrito Integrado de Polícia (DIP), coordenada pela delegada Juliana Tuma, titular da unidade policial, deflagrou a operação ‘Fio da Meada’, que culminou nas prisões, em flagrante, de cinco homens e uma mulher, que não tiveram as identidades reveladas. Todos são investigados pela receptação de cabos de telecomunicações provenientes de furtos. A operação ocorreu na comunidade Bariri, bairro Presidente Vargas, zona sul de Manaus.

A ação policial contou com o apoio das equipes do 16° DIP, 20° DIP, 12° DIP, Companhia Independente de Policiamento com Cães (CIPCães), 24ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) e Conselho Tutelar. Na ocasião, os policiais apreenderam, ainda, aproximadamente 1.020 tábuas de madeira azimbre, 14 porções médias de oxi, R$ 8 mil em espécie, grande quantidade de material de cabeamento de fibra óptica e resgataram quatro crianças, sendo uma de 11, duas de 5 e uma de 4 anos, que estavam em situação de vulnerabilidade.

Foto: Divulgação/PC-AM

De acordo com a delegada Juliana Tuma, os furtos ocorriam na área do bairro Nossa Senhora das Graças, zona centro-sul, e em seguida, os materiais eram vendidos na comunidade do Bariri. Conforme a autoridade policial, as investigações em torno do caso iniciaram há cerca de dois meses e resultaram nas identificações dos receptadores de cabos de telecomunicações. Os quatros mandados de busca e apreensão foram expedidos no dia 4 de agosto deste ano, pela Central de Inquéritos.

“Nesta quarta, nós do 22° DIP, com o apoio das demais delegacias, nos deslocamos até aquela comunidade para cumprir as ordens judiciais. No local, conseguimos efetuar as prisões de seis pessoas envolvidas no delito. Tivemos êxito na operação e conseguimos apreender madeira ilegal, porções de oxi, cerca de R$ 8 mil, além das crianças que estavam vulneráveis naquele lugar. Resgatamos e encaminhamos as mesmas para o serviço de acolhimento”, explicou a delegada.

Procedimentos – Três pessoas foram autuadas por receptação qualificada, tráfico de drogas e associação criminosa. Já os demais foram autuados apenas pela receptação qualificada. Ao término dos trâmites cabíveis no prédio do 22° DIP, eles serão encaminhados para a Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde passarão por audiência de custódia.