Roberto Siqueira Júnior, 19 anos, pode até ter matado sem querer Yasmim Vitória Garcia Rocha, de 3 anos, mas vai responder por homicídio doloso, por saber que a arma estava carregada e mesmo assim manusear dentro do quarto onde estava com a criança. “Ele foi advertido que a arma estava municiada e estava com o poder de atirar, mesmo assim, ele passou a manusear a arma e assumiu o risco de causar a lesão e a morte de qualquer outra pessoa. Ele insistiu e assumiu o risco de provocar a morte de alguma pessoa. E foi exatamente o que aconteceu: no momento que ele manuseava a arma, ela disparou, acertou a criança com um tiro nas costas”, explicou o delgado Paulo Martins, titular da Especilaizado em Homicídios e Sequestros.

Apesar dos parentes dizerem que ele não gostava da menina, Roberto afirma que se dava bem com a enteada. A mãe da menina também afirma que foi uma fatalidade, o que agora pouco importa para a polícia, já que o risco foi claramente assumido. O tiro de calibre 32 atingiu a menina pelas costas. Ela ainda foi socorrida, mas morreu por volta das 20 horas, cinco horas após o disparo.