Qualquer dona de casa, pai de família ou consumidor comum que pega uma nota de R$ 50 e vai a qualquer supermercado de Manaus sabe que será vítima do oportunismo. Os preços estão galopantes. Sem piedade, os donos de supermercados aproveitam a pandemia para dar a facada no pobre. Arroz, óleo e agora a carne, estão com valores abusivos. A desculpa é a pandemia. Justamente quando o poder aquisitivo caiu, o auxílio emergencial diminuiu e o desemprego aumentou. Se tem alguém que não pode reclamar da Covid são os donos de grandes redes de supermercados. Sabendo que ninguém pode parar de comer, eles passaram o facão, e cada vez mais afiado. Vem aí as festas de fim de ano. a ceia de Natal, os comes e bebes. Com ou sem coronavírus, com ou sem vacina, os olhos dos aproveitadores brilham e os dos consumidores lacrimejam.

 

PROVA DO CRIME

O IBGE fez uma pesquisa nacional e comprovou a dor que sentimos no bolso. O grupo alimentação e bebidas (2,16%) foi o que teve maior influência no índice no mês (0,44 p.p.) e acumula alta de 12,12% no ano. Os destaques foram os preços dos alimentos para consumo em domicílio, que avançaram 2,69% influenciados pela alta de itens importantes no consumo das famílias, como as carnes (4,89%), o arroz (8,29%) e a batata-inglesa, que passou de -4,39% em outubro para 33,37% em novembro. Houve aumento também no tomate (19,89%) e no óleo de soja (14,85%). Entre as quedas, a principal foi a do leite longa vida (-3,81%).

 

TIRO NA BOMBA DE COMBUSTÍVEL

Campeão de audiência, o preços dos combustíveis também disparou. Outro impacto forte (0,20 p.p) foi o do grupo de transportes (1%), influenciado pela elevação da gasolina (1,17%), item de maior peso do IPCA-15. Os preços de outros combustíveis também tiveram alta na passagem de outubro para novembro, como o etanol (4,02%), o óleo diesel (0,53%) e o gás veicular (0,55%). O item automóvel novo foi outra contribuição importante no grupo com a alta de 1,07%. Não tem quem segure esse povo. Em movimento contrário, o aumento nas passagens aéreas (3,46%) em novembro mostrou desaceleração frente a outubro (39,90%). As passagens dos ônibus interestaduais (-0,52%) e dos ônibus intermunicipais (-0,40%) foram destaques de quedas no grupo de Transportes.

 

EM CASA COMEÇA O ASSALTO

Mesmo que o cidadão fique em casa com medo da Covid, a conta vai até ele, como Maomé. A variação positiva das taxas de água e esgoto, energia e aluguel são muito salgadas. O resultado do item energia elétrica (-0,04%) teve impacto de dois reajustes e uma redução tarifária. Não tem pra ninguém. Como um batalhão de fuzilamento, está todo mundo contra a parede.

 

2021

O Governo Federal aposta todas as suas fichas no rápido controle da pandemia. Se isso não acontecer, 2021 será um replay de 2020. Com várias vacinas na fase final de teste, o Governo espera que os líderes locais façam sua parte, ajudem na vacinação em massa e a economia possa respirar. Ainda descartando a prorrogação do auxílio emergencial, o presidente Bolsonaro e o ministro Paulo Guedes traçam metas, mas garantindo que estão atentos a tal segunda onda, que pode mudar os planos e fazer um rombo ainda maior nas contas públicas. Vamos na fé.

 

NINGUÉM MERECE

Enquanto índice de aprovação de Jair Bolsonaro sobe no Amazonas, a de Wilson Lima despenca.

Faltando cinco dias para o segundo turno, David Almeida segue desafiando Amazonino para debates.

A morte da criança em Barreirinha mostra que a violência não está apenas nas capitais.

OMS pediu que as pessoas não façam reunião em família neste fim de ano.